Brasil

Onyx determina exoneração de comissionados e servidores de confiança

Ao anunciar as exonerações, Onyx disse que o governo Bolsonaro não pode manter servidores petistas ou de ideologias opostas a projeto "de centro-direita"

Onyx: "Nós vamos 'despetizar' o Brasil" (Adriano Machado/Reuters)

Onyx: "Nós vamos 'despetizar' o Brasil" (Adriano Machado/Reuters)

EC

Estadão Conteúdo

Publicado em 3 de janeiro de 2019 às 09h56.

Brasília - O novo ministro da Casa Civil da Presidência, Onyx Lorenzoni, editou portaria que determina a exoneração ou a dispensa de ocupantes em 31 de dezembro de 2018 de cargos em comissão ou funções de confiança na pasta. Ficam de fora da lista de corte servidores, empregados e militares lotados na Subchefia para Assuntos Jurídicos ou na Imprensa Nacional, que preparam os atos do governo. O Diário Oficial da União (DOU), por exemplo, é publicado pela Imprensa Nacional.

O total de exonerados nessa condição soma 320 pessoas, segundo cálculo do próprio ministro. Ao anunciar ontem as exonerações, Onyx disse que o governo de Jair Bolsonaro não pode manter servidores petistas ou de ideologias que não se identificam com o projeto "de centro-direita". "Nós vamos 'despetizar' o Brasil", disse.

A relação nominal das dispensas deve ser publicada nos próximos dias. O ministro explicou que ainda fará uma espécie de chamada oral para saber como cada um dos ocupantes dos cargos chegou ao governo. Onyx negou, porém, que a prática seja uma caça às bruxas ideológica. "Para não sair caçando bruxa, primeiro a gente exonera e depois a gente conversa", afirmou. "O governo é novo e vem aí um novo Brasil: ou afina com a gente ou troca de casa. Simples assim." O processo de reavaliação dos funcionários, chamado por Onyx de "revisão", durará cerca de duas semanas.

A portaria de Onyx, publicada no DOU de hoje, também encerra as cessões, as requisições e as colocações em disponibilidade de pessoal. Neste caso, a decisão só terá efeito se, em sete dias, o secretário executivo da Casa Civil não manifestar expressamente o interesse pela manutenção do servidor.

Acompanhe tudo sobre:Governo BolsonaroJair BolsonaroOnyx LorenzoniServidores públicos

Mais de Brasil

Prefeitura de SP vai fechar parques quando houver previsão de chuvas fortes

Secretária executiva do MEC, Izolda Cela comunica saída da pasta

Base de Canoas passará a ter dez voos por dia, anuncia governo

Paraná Pesquisas: em SP, Nunes tem 28,1%; Boulos, 24,2%; Datena, 12,1%; e Tabata, 9,1%

Mais na Exame