Brasil

Onda de calor no Brasil: semana terá sol e temperaturas que podem chegar a 40ºC; veja previsão

As altas temperaturas deverão ser registradas em vários Estados, com o calor "muito intenso" ou "extremo"

Onda de calor no Brasil: meteorologistas apontam potencial de quebras de recordes de calor para o mês de setembro. (ROBERTO CASIMIRO/Estadão Conteúdo)

Onda de calor no Brasil: meteorologistas apontam potencial de quebras de recordes de calor para o mês de setembro. (ROBERTO CASIMIRO/Estadão Conteúdo)

Estadão Conteúdo
Estadão Conteúdo

Agência de notícias

Publicado em 18 de setembro de 2023 às 06h36.

Última atualização em 23 de janeiro de 2024 às 12h02.

Após uma rápida frente fria nos últimos dias, que derrubou a temperatura na cidade de São Paulo, os primeiros dias da semana terão sol e altas temperaturas em grande parte do Brasil. Meteorologistas apontam potencial de quebras de recordes de calor para o mês de setembro.

O motivo do calor é a presença de uma massa de ar extremamente quente, que vai cobrir o Brasil nos próximos dias.

Receba as notícias mais relevantes do Brasil e do mundo em primeira mão. Inscreva-se no Telegram da Exame

As altas temperaturas deverão ser registradas em vários Estados, com o calor "muito intenso" ou "extremo", caracterizado por marcas próximas de 40ºC, segundo a MetSul Meteorologia.

É o que deve acontecer nos Estados do Paraná, Mato Grosso do Sul São Paulo, Mato Grosso, Rio de Janeiro, Minas Gerais, Goiás, Distrito Federal, Rondônia, Amazonas, Pará, Tocantins, Bahia, Piauí e Maranhão.

A cidade de São Paulo é um dos locais em que a temperatura pode bater recordes de calor. De acordo com a MetSul, a temperatura ficará perto ou acima de 40ºC no interior. Já na capital, as marcas podem se aproximar de 37ºC a 39ºC.

Temperaturas semelhantes ocorreram entre setembro e outubro de 2020. À época, uma bolha de calor se instalou na região sob um padrão de bloqueio atmosférico, com vários dias de calor extremo.

Calor e baixa umidade

O Instituto Nacional de Meteorologia (Inmet) emitiu um alerta para baixa umidade na maior parte do País. Um território que abrange quase todo o Sudeste e o Centro-Oeste e parte do Nordeste, do Norte e do Sul está em alerta.

A maior temperatura registrada oficialmente até hoje no Brasil foi de 44,8°C em Nova Maringá (MT) em 4 e 5 de novembro de 2020. "Recordes mensais, e em algumas cidades até absolutos, podem cair neste evento de calor extremo", prevê a MetSul.

O Centro de Gerenciamento de Emergências (CGE) da Prefeitura de São Paulo faz previsões semelhantes. Na segunda-feira, 18, o tempo continua seco e ensolarado. Os termômetros variam entre 17°C e 33°C.

Os índices de umidade continuam baixos, com valores abaixo dos 30% no período da tarde. O cenário deve se manter na terça-feira 19.

Não há previsão de chuva em São Paulo nos próximos dias. O CGE alerta ainda que essas condições meteorológicas dificultam a dispersão de poluentes, além de favorecer a formação e propagação de queimadas, o que prejudica a qualidade do ar principalmente nos grandes centros urbanos.

Acompanhe o clima nas cidades:

Acompanhe tudo sobre:CalorTempestades solaresMudanças climáticas

Mais de Brasil

Pressionado por greves, Lula promete reajuste a todas as categorias: ‘A gente dá o quanto pode’

"Não esqueci da picanha": Lula fala sobre preço da carne e 'saidinhas' em conversa com jornalistas

STJ elege Herman Benjamin como próximo presidente; saiba quem é

Alckmin diz que Lula tem razão em cobrança, mas pondera que já atua junto ao Legislativo

Mais na Exame