Brasil

Moraes vota para tornar réus mais 250 denunciados por atos antidemocráticos de 8 de janeiro

É o quinto grupo de investigados, totalizando 1.050 das 1,3 mil denúncias apresentadas pela Procuradoria-Geral da República

STF: A análise ocorre no plenário virtual (Carlos Moura/SCO/STF/Flickr)

STF: A análise ocorre no plenário virtual (Carlos Moura/SCO/STF/Flickr)

Agência Brasil
Agência Brasil

Agência de notícias

Publicado em 16 de maio de 2023 às 06h43.

Última atualização em 16 de maio de 2023 às 06h44.

O Supremo Tribunal Federal (STF) começou o julgamento de mais 250 envolvidos nos atos antidemocráticos de 8 de janeiro. É o quinto grupo de investigados, totalizando 1.050 das 1,3 mil denúncias apresentadas pela Procuradoria-Geral da República (PGR).

O julgamento foi iniciado no início da madrugada desta terça-feira, 16, e será finalizado na próxima segunda-feira, 22. A análise ocorre no plenário virtual, modalidade na qual os ministros depositam os votos no sistema eletrônico do STF e não há deliberação presencial.

O primeiro voto inserido no sistema foi proferido pelo relator, ministro Alexandre de Moraes. Como nos julgamentos dos grupos anteriores, Moraes votou a favor das denúncias.

O que acontece se o STF aceitar a denúncia?

Se a maioria dos ministros aceitar as denúncias, os acusados passarão a responder a uma ação penal e se tornam réus no processo. Eles deverão responder pelos crimes de associação criminosa armada, abolição violenta do Estado democrático de direito, golpe de estado, dano qualificado e incitação ao crime.

O julgamento das primeiras denúncias começou no mês passado. Até o momento, a Corte tornou réus cerca de 800 investigados.

Acompanhe tudo sobre:Supremo Tribunal Federal (STF)CPMI do 8 de janeiroAlexandre de MoraesPGR - Procuradoria-Geral da República

Mais de Brasil

Pesquisa Atlas Intel no Rio: Eduardo Paes tem 42,6% das intenções de voto e Ramagem, 31,2%

Comissão da Câmara aprova projeto que autoriza estados a legislarem sobre posse e porte de armas

Barroso nega impor câmeras corporais a policiais de SP após 'compromisso' de Tarcísio

Lula cobra Anac e GOL por morte de cachorro em voo: 'Tem que prestar contas'

Mais na Exame