Exame logo 55 anos
Remy Sharp
Acompanhe:

Metrô de São Paulo rescinde contrato para construção da linha 17-Ouro do Monotrilho

A rescisão será publicada nesta terça-feira e o consórcio também será multado em R$ 118 milhões e proibido de firmar novos contratos públicos por dois anos, segundo o Metrô

Modo escuro

Essa linha vai ligar o Aeroporto de Congonhas à estação Morumbi, da linha 9 da CPTM (Márcia Alves/Metrô SP/Divulgação)

Essa linha vai ligar o Aeroporto de Congonhas à estação Morumbi, da linha 9 da CPTM (Márcia Alves/Metrô SP/Divulgação)

Como o governador Tarcísio de Freitas (Republicanos) já havia anunciado em março, nesta segunda-feira, 22, o Metrô de São Paulo confirmou a rescisão do contrato com o Consórcio Monotrilho Ouro, composto pelas construtoras Coesa e KPE, devido ao atraso nas obras de construção da Linha 17. Essa linha vai ligar o Aeroporto de Congonhas à estação Morumbi, da linha 9 da Via Mobilidade, e deveria entrar em operação em 2013, mas só deve começar a funcionar até o primeiro semestre de 2026.

A rescisão será publicada nesta terça-feira, 23, e o consórcio também será multado em R$ 118 milhões e proibido de firmar novos contratos públicos por dois anos, segundo o Metrô.

A construção da linha foi anunciada em 2010 e a primeira empresa escolhida foi a Scomi, fabricante de trens da Malásia. Mas, logo após assinar o contrato, a empresa decretou falência. A construção foi então atribuída às construtoras Andrade Gutierrez e CR Almeida, mas, no fim de 2015, essas empresas tentaram romper o contrato na Justiça, após fazer críticas à gestão por parte do Metrô. Em janeiro de 2016, o Metrô rompeu unilateralmente o contrato.

O que disse o Metrô?

Segundo nota divulgada pelo Metrô nesta segunda-feira, "diante do atraso injustificado no cronograma de execução das obras, o governo do Estado e o Metrô vinham exigindo um plano de recuperação dos prazos. As exigências se intensificaram a partir de janeiro e, diante da morosidade da contratada em demonstrar sua capacidade de retomar o ritmo das obras, o Metrô concluiu o processo de rescisão contratual".

Faltam 20% da obra, segundo o Metrô, que junto com o governo de São Paulo estuda três alternativas para a conclusão delas: 1) contratar uma das empresas remanescentes que foram classificadas na licitação já realizada; 2) pactuar que as obras pendentes sejam executadas pela futura operadora da linha 17-Ouro ou 3) realizar uma nova licitação. Estão sendo avaliados aspectos jurídicos e condições técnicas.

Segundo o Metrô, a rescisão não vai afetar o ritmo de fabricação dos trens e de instalação de sistemas. "Seguindo o cronograma previsto, o Metrô envia, em agosto, técnicos à China para acompanharem os testes dos sistemas e material rodante do Consórcio BYD Skyrail São Paulo, responsável por esse fornecimento", afirma a nota divulgada pela empresa.

Além de integrar o consórcio responsável pela construção da Linha 17-Ouro, a Coesa também integra o consórcio que venceu a licitação para a estação Ipiranga da Linha 15-Prata. Segundo o Metrô, a participação da Coesa é de 10%, enquanto a Álya Construtora (Queiroz Galvão) detém os 90% restantes e será a executora do contrato. Por enquanto não haverá mudanças nesse contrato — o Metrô anunciou que vai "monitorar o andamento do contrato e fiscalizar rigidamente o cronograma de entregas da obra".

Créditos

Últimas Notícias

ver mais
Fila para transplante de córnea no Brasil quase dobra em cinco anos
Brasil

Fila para transplante de córnea no Brasil quase dobra em cinco anos

Há 3 horas
Rivais ideológicos, PL e PSOL têm em comum a maior rejeição à regra
Brasil

Rivais ideológicos, PL e PSOL têm em comum a maior rejeição à regra

Há 3 horas
Trabalhadores de aplicativos rejeitam CLT
Brasil

Trabalhadores de aplicativos rejeitam CLT

Há 3 horas
Planos de saúde são obrigados a oferecer dois novos tratamentos contra câncer
Brasil

Planos de saúde são obrigados a oferecer dois novos tratamentos contra câncer

Há 3 horas
icon

Branded contents

ver mais

Conteúdos de marca produzidos pelo time de EXAME Solutions

Exame.com

Acompanhe as últimas notícias e atualizações, aqui na Exame.

leia mais