Brasil

Lula recebe primeiro-ministro do Japão para discutir novos acordos comerciais

Fumio Kishida também terá compromissos, no sábado, em São Paulo

Encontro: Fumio Kishida, primeiro-ministro japonês, se encontrará com o presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT), nesta sexta, 3 (Ricardo Stuckert/Agência Brasil)

Encontro: Fumio Kishida, primeiro-ministro japonês, se encontrará com o presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT), nesta sexta, 3 (Ricardo Stuckert/Agência Brasil)

Agência o Globo
Agência o Globo

Agência de notícias

Publicado em 3 de maio de 2024 às 07h15.

Última atualização em 3 de maio de 2024 às 07h22.

A convite do presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT), o primeiro-ministro do Japão, Fumio Kishida, fará uma visita oficial de dois dias ao Brasil. O premier será recebido por Lula, nesta sexta-feira e, no sábado, dia 4, viajará a São Paulo, para encontros com membros da comunidade nipo-brasileira e com empresários dos dois países.

Lula e Kishida terão uma reunião no Palácio do Planalto, prevista para começar às 9h30, seguida por uma cerimônia de assinatura de atos e um almoço no Itamaraty. Durante o encontro, serão discutidos temas da agenda bilateral, como o aumento do comércio entre os dois países. O presidente brasileiro pedirá a abertura do mercado japonês para a carne bovina do Brasil.

Medidas para mitigar o aquecimento global, assuntos consulares, ciência, tecnologia e inovação, transição energética e as propostas do Brasill na presidência doo G20 também farão parte da agenda. Lula espera a adesão do Japão a iniciativas de combate à fome e à pobreza e à reforma da governança internacional.

Brasil e Japão são candidatos a uma vaga permanente no Conselho de Segurança das Nações Unidas. Hoje, apenas cinco países têm esse status e ainda são beneficiados com o direito ao veto: Estados Unidos, China, França, Reino Unido e Rússia.

Após o almoço no Itamaraty, Kishida viajará, no início da tarde, para Assunção, capital do Paraguai. Ele retornará ao Brasil na manhã de sábado, para uma série de atividades em São Paulo.

Segundo informações preliminares, o primeiro-ministro fará uma visita ao memorial em homenagem aos imigrantes japoneses e, em seguida, almoçará com representantes da comunidade nipo-brasileira. Às 15h30, ele deverá fazer uma palestra na USP e se reunirá com o vice-presidente e ministro do Desenvolvimento, Indústria, Comércio e Serviços, Geraldo Alckmin.

Kishida estará acompanhado de 35 líderes empresariais de seu país e participará de um fórum com homens de negócios e investidores brasileiros e japoneses no fim do dia, por volta de 17h30. Está prevista uma entrevista à imprensa no fim da programação.

O Brasil conta com a maior população nipo-descendente fora do Japão, estimada em mais de 2 milhões de pessoas. Já o Japão abriga a quinta maior comunidade brasileira no exterior, com cerca de 211 mil nacionais.

Lula visitou o Japão maio do ano passado, quando participou, como convidado do governo japonês, da Cúpula do G7 (grupo formado por Estados Unidos, Japão, Alemanha, Reino Unido, França, Itália e Canadá), em Hiroshima. À margem doo evento, o presidente brasileiro e o premier japonês firmaram uma acordo de isenção de vistos para visitas de até 90 dias, vigente desde setembro de 2023.

Em 2023, o Japão foi o segundo parceiro comercial do Brasil na Ásia e o nono no mundo, com intercâmbio comercial de US$ 11,7 bilhões e superávit brasileiro de US$ 1,491 bilhão. O Japão ocupa a posição de oitavo maior investidor externo no Brasil pelo critério de controlador final, com estoque de cerca de US$ 28,5 bilhões.

Acompanhe tudo sobre:Luiz Inácio Lula da SilvaJapão

Mais de Brasil

Manifestantes contrários ao PL Antiaborto voltam a ocupar ruas

Nova bolsa de valores, 'epicentro' de data centers e inovação: as apostas do Rio para crescer

Em Porto Alegre, Defesa Civil alerta para risco de novos temporais com ‘ventos intensos’ e granizo

Ministério da Saúde amplia vacinação contra dengue; veja nova faixa etária

Mais na Exame