Brasil

Lula conversa com presidente do México e presta solidariedade por invasão à embaixada no Equador

Presidente também conversou por telefone com novo primeiro-ministro de Portugal

Equador x México: Obrador declarou que levará o tema da invasão da embaixada à Corte Internacional de Justiça (Ricardo Stuckert/PR/Divulgação)

Equador x México: Obrador declarou que levará o tema da invasão da embaixada à Corte Internacional de Justiça (Ricardo Stuckert/PR/Divulgação)

Agência o Globo
Agência o Globo

Agência de notícias

Publicado em 9 de abril de 2024 às 20h28.

Tudo sobreLuiz Inácio Lula da Silva
Saiba mais

O presidente Luiz Inácio Lula da Silva prestou soliedaridade ao presidente do México, Andrés Manuel López Obrador, pela invasão da embaixada do país em Quito, Equador. A informação é da Presidência da República, que publicou nota afirmando que os dois conversaram por telefone nesta terça-feira, 9.

Na ocasião, Lula teria dito que a invasão representa "grave ruptura do direito internacional", e que o Brasil acompanhará o tratamento do tema na Comunidade de Estados Latino-Americanos e Caribenhos (CELAC).

Ex-vice-presidente do Equador é hospitalizado após fazer greve de fome na prisão

A nota afirma, ainda, que Obrador declarou que levará o tema da invasão da embaixada à Corte Internacional de Justiça.

"Na perspectiva de estreitar ainda mais laços econômicos e empresariais entre as nações, o presidente brasileiro expressou o desejo de viajar ao México ainda este ano, antes do fim do mandato de López Obrador. O líder mexicano afirmou que terá grande prazer em receber a visita de Lula", completou.

Invasão à embaixada

O presidente mexicano, Andrés Manuel López Obrador, divulgou nesta terça-feira imagens do momento da invasão da embaixada do país em Quito na última sexta-feira, condenando a operação que prendeu o ex-vice-presidente equatoriano Jorge Glas, asilado na sede diplomática.

Em uma publicação no X (ex-Twitter), ele condenou o ataque "autoritário desprezível", que levou ao rompimento das relações diplomáticas entre os países.

Nas imagens, policiais invadem a sede diplomática do México, supostamente protegida, depois que vários agentes armados escalaram o muro externo. No vídeo, de câmeras de segurança de dentro do prédio, os agentes apontam uma arma para o vice-chefe da missão diplomática, Roberto Canseco, e depois agridem o diplomata mexicano enquanto ele estava na biblioteca do prédio.

O Ministério das Relações Exteriores do México afirmou que estava divulgando as imagens para denunciar ao mundo a "invasão não autorizada e violenta" do Equador e "os abusos sofridos por nossa equipe diplomática".

Conversa com Portugal

O presidente também conversou por telefone nesta terça-feira com o novo primeiro-ministro de Portugal, Luís Montenegro. Foi o primeiro contato entre os dois, de acordo com a nota divulgada pelo Palácio do Planalto.

"O presidente Lula parabenizou o primeiro-ministro pela vitória nas eleições portuguesas e desejou boa sorte em seu mandato. Lula recordou a grande comunidade brasileira que hoje vive em Portugal, sinal da irmandade entre os dois países, e transmitiu ao primeiro-ministro o desejo de encontrá-lo pessoalmente em breve", afirma a nota.

Montenegro é do PSD, partido da direita tradicional portuguesa e que não tem nada a ver com o partido homônimo brasileiro. O grupo se recusou a fazer aliança com o Chega, de extrema-direita e formou um governo de minoria. O arranjo é frágil e pode fazer o governo cair em algum momento de desgaste político. Por ser uma república parlamentarista, Portugal pode destituir o chefe de governo em um processo bem menos traumático que um processo de impeachment como o brasileiro.

Acompanhe tudo sobre:MéxicoEquadorLuiz Inácio Lula da SilvaPortugal

Mais de Brasil

Bolsonaristas criticam Moraes por derrubar norma sobre aborto; governistas apoiam decisão

Enchentes agora atingem SC; mais de 800 estão fora de casa devido a inundações

Nível do Guaíba cai 17 cm em Porto Alegre e segue baixando

Adaptação das cidades à crise climática exige mudança de paradigma, dizem especialistas

Mais na Exame