Acompanhe:

Líder do PT na Câmara diz que bancada vai ‘abrir mão’ por ora de taxar milionários

Objetivo é garantir espaço para a conclusão das principais reformas econômicas do primeiro semestre

Modo escuro

Continua após a publicidade
Congresso: bancada do PT pressiona para que a segunda fase da Reforma Tributária apresente uma maior taxação de ricos e super-ricos (Lula Marques/Agência Brasil)

Congresso: bancada do PT pressiona para que a segunda fase da Reforma Tributária apresente uma maior taxação de ricos e super-ricos (Lula Marques/Agência Brasil)

O líder do PT na Câmara Federal, o deputado Zeca Dirceu (PR), afirmou nesta terça-feira, 8, que a bancada do partido está disposta a “abrir mão”, no momento, de eventual proposta de aumento da tributação de pessoas com renda milionária.

O objetivo, com isso, é garantir espaço para a conclusão no Congresso das principais reformas econômicas do primeiro semestre: arcabouço fiscal, Reforma Tributária sobre o consumo, e outros projetos como a mudança no Conselho Administrativo de Recursos Fiscais (Carf).

Receba as notícias mais relevantes do Brasil e do mundo em primeira mão. Inscreva-se no Telegram da Exame

Nesta manhã, o ministro da Fazenda, Fernando Haddad, teve reunião com deputados da base do PT, na sede Ministério da Fazenda em Brasília.

A bancada do Partido dos Trabalhadores pressiona para que a segunda fase da Reforma Tributária, com foco na renda, apresente uma maior taxação de ricos e super-ricos. Porém, o projeto dessa segunda fase só será enviado ao Congresso após a tramitação da reforma sobre o consumo.

— A banca falou muito (no encontro com Haddad), a gente até abre mão, agora, de taxar os milionários. O que não dá para um país com tanta desigualdade não taxar, sequer, os bilionários. Haverá medidas nesse sentido, primeiro vamos vencer a Reforma Tributária, o regime fiscal, Carf. A Câmara vai cumprir o seu papel — afirmou Dirceu.

Ainda segundo o líder, a bancada do Partido está integralmente alinhada com o ministro da Fazenda. Dirceu disse que Haddad reforçou com a bancada a "atenção" e a necessidade de apoio para a aprovação do orçamento de 2024. A peça será encaminhada pelo governo ao Congresso até o dia 31 deste mês.

— O governo quer fazer justiça tributária e social. Haddad continua dialogando com todos os partidos da base e da oposição. No primeiro semestre tivemos um curto-circuito ou outro, mas a bancada está 100% sintonizada (com Haddad) — disse.

Para garantir maior arrecadação nos próximos anos, o Ministério da Fazenda depende da aprovação de uma série de medidas pelo Congresso. Uma delas é o projeto de lei para tributar fundos exclusivos de investimento, voltados à altíssima renda, que hoje só pagam Imposto de Renda (IR) no resgate, sem recolhimento semestral como os demais fundos.

Créditos

Últimas Notícias

Ver mais
100 prefeitos vão a Brasília pressionar governo contra aumento de contribuição previdenciária
Brasil

100 prefeitos vão a Brasília pressionar governo contra aumento de contribuição previdenciária

Há 17 horas

Como declarar imóveis no Imposto de Renda 2024
seloMercado imobiliário

Como declarar imóveis no Imposto de Renda 2024

Há 18 horas

Ouro sobe e fecha acima de US$ 2.100, com investidores de olho em Powell e payroll
seloMercados

Ouro sobe e fecha acima de US$ 2.100, com investidores de olho em Powell e payroll

Há 20 horas

Bukele vence eleições municipais, último elo do poder em El Salvador
Mundo

Bukele vence eleições municipais, último elo do poder em El Salvador

Há um dia

Continua após a publicidade
icon

Branded contents

Ver mais

Conteúdos de marca produzidos pelo time de EXAME Solutions

Exame.com

Acompanhe as últimas notícias e atualizações, aqui na Exame.

Leia mais