Brasil

Graça Foster será convocada para depor em CPI da Câmara

O depoimento está marcado para a quinta-feira, em substituição ao de Julio Faerman, representante da SBM Offshore no Brasil


	Graça Foster: ela já foi ouvida na CPI instalada por Câmara e Senado em 2014
 (Antonio Cruz/Agência Brasil)

Graça Foster: ela já foi ouvida na CPI instalada por Câmara e Senado em 2014 (Antonio Cruz/Agência Brasil)

DR

Da Redação

Publicado em 24 de março de 2015 às 11h54.

Brasília - A ex-presidente da Petrobras Graça Foster será convocada nesta terça-feira, 24, para prestar depoimento à CPI instalada na Câmara para apurar o esquema de corrupção na estatal.

O depoimento está marcado para a quinta-feira, 26, em substituição ao de Julio Faerman, representante da SBM Offshore no Brasil, que não foi localizado pela comissão.

Foster já foi ouvida na Comissão Parlamentar Mista de Inquérito instalada por Câmara e Senado em 2014.

Relatório paralelo da oposição pediu o indiciamento da então presidente da estatal e de outras 59 pessoas. Foster deixou o cargo em fevereiro deste ano.

A oposição queria que a CPI convocasse o tesoureiro do PT, João Vaccari Neto, para falar na quinta-feira, mas o requerimento para chamá-lo ainda não foi aprovado.

A votação será nesta tarde, mas o convocado precisa ser informado com até 48 horas de antecedência, o que não seria possível.

Na próxima semana, a CPI pretende ouvir ex-gerente-geral da Refinaria Abreu e Lima Glauco Legatti, que está de férias. O novo diretor de Gás e Energia da companhia, Hugo Repsold, deve ser ouvido no dia 7 de abril.

Acompanhe tudo sobre:Capitalização da PetrobrasEmpresasEmpresas abertasEmpresas brasileirasEmpresas estataisEstatais brasileirasExecutivos brasileirosGás e combustíveisGraça FosterIndústria do petróleoMulheres executivasPetrobrasPetróleoPolítica no Brasil

Mais de Brasil

Lula critica falta de acordo entre Zelensky e Putin: 'Estão gostando da guerra'

STF dá 5 dias para Tarcísio e Alesp explicarem reembolso de procuradores por 'excesso de trabalho'

Remessas de até US$ 50 batem recorde e chegam a 16,6 milhões antes de volta da taxação

Irmã de Juscelino Filho também é indiciada pela PF em inquérito sobre suposto desvio de emendas

Mais na Exame