Brasil

Graça entrou para galeria, diz dona de fábrica de máscaras

Dona da fábrica Condal, Olga Valles, disse que recebeu 600 pedidos, um número pequeno se comparado com as mais de 15 mil do ex-presidente do STF Joaquim Barbosa


	Fraça: mesmo que pedidos aumentem, fábrica só terá capacidade de produzir 6 mil peças até carnaval
 (Ueslei Marcelino/Reuters)

Fraça: mesmo que pedidos aumentem, fábrica só terá capacidade de produzir 6 mil peças até carnaval (Ueslei Marcelino/Reuters)

DR

Da Redação

Publicado em 6 de fevereiro de 2015 às 15h58.

Rio - As primeiras máscaras de carnaval da ex-presidente da Petrobras Graça Foster ficaram prontas nesta sexta-feira, 6.

A dona da fábrica Condal, Olga Valles, disse que recebeu 600 pedidos, um número pequeno se comparado com as mais de 15 mil do ex-presidente do Supremo Tribunal Federal (STF) Joaquim Barbosa vendidas no auge do processo do mensalão.

"Não acho que o pedido de demissão dela (Graça) vá fazer diferença e aumentar as vendas. Vamos ver. Mas não é isso que leva a fábrica à frente. Fazemos porque gostamos de retratar a atualidade através das máscaras. A Graça já entrou para a nossa galeria", disse Olga.

Mesmo que os pedidos aumentem, a Condal só terá capacidade de produzir 6 mil peças até o carnaval.

A dona da fábrica disse que a campeã de vendas é a máscara de King Kong.

"Às vezes, um monstro parece muito mais bonzinho do que muitos políticos. No carnaval, tudo se mistura. Pessoas de diferentes classes sociais se juntam no bloco com a mesma finalidade: se divertir."

A Condal existe desde 1958. Foi fundada pelo artista plástico Armando Valles, que morreu em 2007.

"Com o fim da ditadura militar, ele começou a retratar a vida política. Era a paixão dele, que nos deixou essa herança", disse a viúva, de 56 anos.

Olga foi procurada na semana passada por um advogado do ex-diretor da Petrobrás Nestor Cerveró, preso sob acusação de envolvimento em crimes investigados na operação Lava-Jato, da Polícia Federal.

O objetivo era impedir a produção de máscaras de Cerveró. "Eles não gostaram da ideia. Deixaram claro que, se fizéssemos, teria processo. Então, não fizemos."

Acompanhe tudo sobre:Capitalização da PetrobrasCarnavalEmpresasEmpresas abertasEmpresas brasileirasEmpresas estataisEstatais brasileirasExecutivos brasileirosGás e combustíveisGraça FosterIndústria do petróleoMulheres executivasPetrobrasPetróleo

Mais de Brasil

Operação Lesa Pátria cumpre 27 mandados judiciais contra envolvidos no 8 de janeiro

Caso Marielle: Ronnie Lessa é transferido de penitenciária federal no MS para Tremembé, em SP

Vice de Nunes será indicado pelo PL, mas prefeito não crava coronel aliado de Bolsonaro

Senado aprova marco legal para a produção do hidrogênio de baixo carbono

Mais na Exame