FHC diz que declarações de filho de Bolsonaro "cheiram a fascismo"

O ex-presidente usou as redes sociais neste domingo, 21, para criticar declarações do deputado Eduardo Bolsonaro
Imagem de arquivo: "Não apoio chicanas contra os vencedores, mas estas cruzaram a linha, cheiram a fascismo", afirmou o ex-presidente (Tânia Rego/Agência Brasil)
Imagem de arquivo: "Não apoio chicanas contra os vencedores, mas estas cruzaram a linha, cheiram a fascismo", afirmou o ex-presidente (Tânia Rego/Agência Brasil)
E
Estadão Conteúdo

Publicado em 21/10/2018 às 15:50.

Última atualização em 22/10/2018 às 08:29.

São Paulo - O ex-presidente Fernando Henrique Cardoso usou as redes sociais neste domingo, 21, para criticar declarações do filho de Jair Bolsonaro, o deputado Eduardo Bolsonaro, de que basta "um soldado e um cabo" para fechar o Supremo Tribunal Federal (STF). "As declarações merecem repúdio dos democratas. Prega a ação direta, ameaça o STF", escreveu o ex-presidente na tarde de hoje em seu Twitter.

"Não apoio chicanas contra os vencedores, mas estas cruzaram a linha, cheiram a fascismo", afirmou Fernando Henrique. "Têm meu repúdio, como quaisquer outras, de qualquer partido, contra leis, a Constituição", conclui na mensagem.

A declaração de Eduardo Bolsonaro foi feita em resposta a questionamento, durante palestra antes do 1º turno, sobre a possibilidade de seu pai ser impedido de assumir o Planalto caso fosse eleito ainda na primeira fase da corrida presidencial e qual seria a reação do Exército.

O candidato derrotado à Presidência da República pelo PSOL, Guilherme Boulos, afirmou, também no Twitter, que o vídeo de Eduardo Bolsonaro "mostra bem o descompromisso dessa turma com a democracia". "Aos setores do Judiciário que impulsionaram a onda antidemocrática no País fica o dito espanhol: 'cria cuervos y te sacarán los ojos'", acrescentou ele.