Acompanhe:

Desigualdade entre homens e mulheres piora no Brasil

Relatório do Fórum Econômico Mundial traz Brasil na 71ª posição do ranking de Abismo de Gênero. O país caiu 9 posições em relação ao ano passado

Modo escuro

Continua após a publicidade

	Brasília iluminada de rosa: representação política das mulheres brasileiras recebe a pior nota em ranking de Abismo de Gênero do Fórum Econômico Mundial
 (Valter Campanato/Agência Brasil)

Brasília iluminada de rosa: representação política das mulheres brasileiras recebe a pior nota em ranking de Abismo de Gênero do Fórum Econômico Mundial (Valter Campanato/Agência Brasil)

B
Beatriz Souza

Publicado em 28 de outubro de 2014 às, 13h29.

São Paulo - O relatório anual de Abismo de Gênero elaborado pelo Fórum Econômico Mundial traz uma péssima notícia para o Brasil: o país caiu 9 posições no ranking que avalia como 142 nações distribuem recursos e oportunidades de desenvolvimento social e econômico entre homens e mulheres

Na edição de 2014 do relatório, o Brasil ficou na 71º posição, entre 142 países, exatamente no meio do caminho para a  igualdade entre os gêneros.

A nota geral obtida pelo país foi de 0,694 pontos. Quanto mais perto de 1, mais igualitário é o país; quanto mais perto de zero, maior a desvantagem das mulheres em relação aos homens.

O Brasil teve melhor desempenho em educação e saúde. Nestes quesitos, o Brasil ficou em primeiro lugar no ranking. Já nos itens que avaliam a participação econômica e o empoderamento político das mulheres, o país ficou bem atrás: na 81ª e na 74ª posições, respectivamente.

Brasil Posição no ranking Nota
Participação e oportunidades econômicas 81º 0,649
Educação 1
Saúde 0,98
Empoderamento político 74º 0,148

O país ficou atrás de países como Nicarágua, Ruanda, Moçambique e Cuba. Além, é claro, dos países nórdicos que ocupam as primeiras posições. Compare os dados brasileiros com os da Islândia, país mais igualitário do mundo:

Islândia Posição no ranking Nota
Participação e oporturnidades econômicas 0,817
Educação 1
Saúde 128º 0,965
Empoderamento político 0,655

Agora, veja o desempenho detalhado do Brasil em cada uma das áreas avaliadas, comparando com os da Islândia:

Participação e oportunidades econômicas

Na avaliação da participação das mulheres na economia do país, o Brasil vai mal. O item com a pior avaliação é o de igualdade de salários em trabalhos com funções parecidas.

Brasil Posição no ranking Nota Razão entre mulheres/homens (de 0 a 1 - em que 1 significa igualdade)
Participação na força de trabalho 81º 0,76 0,76
Igualdade de salários em trabalhos similares 124º 0,51 0,51
Renda estimada 79º 0,59 0,59
Legisladores, altos funcionários e gerentes 36º 0,59 0,59
Profissionais e técnicos 1 1,2
Islândia Posição no ranking Nota Razão entre mulheres/homens (de 0 a 1 - em que 1 significa igualdade)
Participação na força de trabalho 10º 0,95 0,95
Igualdade de salários em trabalhos similares 19º 0,74 0,74
Renda estimada (US$) 22º 0,8 0,8
Legisladores, altos funcionários e gerentes 22º 0,67 0,67
Profissionais e técnicos 1 1,36

Educação

Na educação, o Brasil teve um bom desempenho. Principalmente no ensino superior, onde as mulheres já são maioria. Em todos os quesitos avaliados, o país obteve nota máxima. 

Brasil Posição no ranking Nota Razão entre mulheres/homens (de 0 a 1 - em que 1 significa igualdade)
Taxa de alfabetização 1 1,01
Matrículas na educação primária 1 1,02
Matrículas no ensino superior 1 1,29
Islândia Posição no ranking Nota Razão entre mulheres/homens (de 0 a 1 - em que 1 significa igualdade)
Taxa de alfabetização 1 1
Matrículas na educação primária 1 1,01
Matrículas no ensino superior 1 1,7

Saúde

Em relação à saúde, as mulheres e homens brasileiros estão em igualdade.

Brasil Posição no ranking Nota Razão entre mulheres/homens (de 0 a 1 - em que 1 significa igualdade)
Taxa de nascimento (mulher/homem) 0,94 0,95
Expectativa de vida saudável 1,06 1,08
Islândia Posição no ranking Nota Razão entre mulheres/homens (de 0 a 1 - em que 1 significa igualdade)
Taxa de nascimento (mulher/homem) 0,94 0,96
Expectativa de vida saudável 137º 1,01 1,01

Empoderamento político

O item de que avalia a participação política das mulheres brasileiras é o que recebeu a pior nota. Embora Dilma tenha sido reeleita, há muito mais homens em cargos de poder que mulheres. Na Câmara dos Deputados, por exemplo, dos 513 deputados eleitos, apenas 51 são mulheres.

Brasil Posição no ranking Nota Razão entre mulheres/homens (de 0 a 1 - em que 1 significa igualdade)
Mulheres no parlamento 123º 0,09 0,09
Mulheres em posições ministeriais 41º 0,34 0,34
Anos com mulheres chefes de estado 29º 0,08 0,08
Islândia Posição no ranking Nota Razão entre mulheres/homens (de 0 a 1 - em que 1 significa igualdade)
Mulheres no parlamento 11º 0,66 0,66
Mulheres em posições ministeriais 15º 0,6 0,6
Anos com mulheres chefes de estado 0,68 0,68

Últimas Notícias

Ver mais
Educação Inclusiva: apenas 16% das empresas têm programas para grupos minorizados, diz estudo
seloCarreira

Educação Inclusiva: apenas 16% das empresas têm programas para grupos minorizados, diz estudo

Há 3 dias

ESG: como conseguir o selo Pró-Equidade de Gênero e Raça para sua empresa
Um conteúdo Bússola

ESG: como conseguir o selo Pró-Equidade de Gênero e Raça para sua empresa

Há 5 dias

Senado aprova plano para combate integrado à violência contra a mulher
Brasil

Senado aprova plano para combate integrado à violência contra a mulher

Há uma semana

Apenas 6% de CEOs são mulheres no mundo, aponta pesquisa da Deloitte
seloCarreira

Apenas 6% de CEOs são mulheres no mundo, aponta pesquisa da Deloitte

Há uma semana

Continua após a publicidade
icon

Branded contents

Ver mais

Conteúdos de marca produzidos pelo time de EXAME Solutions

Exame.com

Acompanhe as últimas notícias e atualizações, aqui na Exame.

Leia mais