Acompanhe:

"Delações não podem ser consideradas", diz defesa de Dilma

A defesa afirma que os fatos não constavam na alegação inicial apresentada em 2015 pelo PSDB e, por isso, não poderiam ser incluídos no processo

Modo escuro

Continua após a publicidade
Dilma Rousseff: o advogado também defendeu que "não houve irregularidades" durante a campanha de 2014 (Andres Stapff/Reuters)

Dilma Rousseff: o advogado também defendeu que "não houve irregularidades" durante a campanha de 2014 (Andres Stapff/Reuters)

E
Estadão Conteúdo

Publicado em 6 de junho de 2017 às, 19h09.

Última atualização em 6 de junho de 2017 às, 19h13.

Brasília - O advogado de defesa da ex-presidente Dilma Rousseff, Flávio Caetano, chegou neste início de noite de terça-feira, 6, ao Tribunal Superior Eleitoral (TSE) e defendeu que os depoimentos dos empresários da Odebrecht e dos publicitários João Santana e Mônica Moura não sejam levados em conta no julgamento.

Esse é um tema das preliminares apresentadas pela defesa, que alega que os fatos não constavam na alegação inicial apresentada em 2015 pelo PSDB e, por isso, não poderiam ser incluídos no processo.

Caetano afirmou que não sabe em que momento essas questões serão julgadas no plenário, se antes ou durante o mérito. Isso vai depender do rito adotado pelo presidente do TSE, ministro Gilmar Mendes.

O advogado também defendeu que "não houve irregularidades" durante a campanha de 2014 e afirmou que a crise política envolvendo o atual presidente Michel Temer não deve influenciar "em nada" o julgamento.

"O TSE é um tribunal técnico, acostumado à pressão política", disse.

Últimas Notícias

Ver mais
Moro ainda pode perder o mandato? Entenda os próximos passos após senador ser absolvido no TRE-PR
Brasil

Moro ainda pode perder o mandato? Entenda os próximos passos após senador ser absolvido no TRE-PR

Há 3 dias

PF prende hacker suspeito de invadir sites do Senado, Exército e TSE
Brasil

PF prende hacker suspeito de invadir sites do Senado, Exército e TSE

Há 3 dias

Defesa do X, rede de Musk, afirma ao STF que não pode garantir cumprimento de decisões judiciais
Brasil

Defesa do X, rede de Musk, afirma ao STF que não pode garantir cumprimento de decisões judiciais

Há 3 dias

Em decisão histórica, Tribunal condena Suíça por responsabilidade climática
ESG

Em decisão histórica, Tribunal condena Suíça por responsabilidade climática

Há 3 dias

Continua após a publicidade
icon

Branded contents

Ver mais

Conteúdos de marca produzidos pelo time de EXAME Solutions

Exame.com

Acompanhe as últimas notícias e atualizações, aqui na Exame.

Leia mais