Acompanhe:

Com 72% de vacinados, SP é a melhor cidade para investir no comércio

A cidade suspendeu as restrições de distanciamento em todos os estabelecimentos comerciais desde o começo do mês. Veja as melhores cidades para ter negócios no comércio

Modo escuro

Continua após a publicidade
Rua 25 de Março, no centro da cidade de São Paulo, fornece produtos para todo o país. (Jonne Roriz/Bloomberg/Getty Images)

Rua 25 de Março, no centro da cidade de São Paulo, fornece produtos para todo o país. (Jonne Roriz/Bloomberg/Getty Images)

G
Gilson Garrett Jr

Publicado em 9 de novembro de 2021 às, 17h17.

Última atualização em 9 de novembro de 2021 às, 17h30.

A cidade de São Paulo foi uma das mais afetadas pela crise da pandemia de covid-19. Em 2020, mais de 97.000 postos de trabalho foram fechados. Mas assim que a reabertura começou, a retomada econômica deu sinais positivos. Neste ano, o saldo de empregos criados está em 294.591 postos, um crescimento de 6,89% entre janeiro e agosto de 2021.

Com 100% das pessoas adultas vacinadas com pelo menos a primeira dose, e 72% da população totalmente imunizada, a cidade deixou de adotar restrições de distanciamento de clientes em todos os estabelecimentos comerciais desde o começo do mês.

A volta econômica foi determinante para São Paulo aparecer na primeira colocação no ranking Melhores Cidades para Fazer Negócios, no setor de comércio. Em segundo lugar aparece a vizinha, Barueri, e em terceiro lugar a capital catarinense, Florianópolis. A lista contempla 100 cidades.

O ranking das melhores cidades para fazer negócios é elaborado anualmente pela consultoria Urban Systems, com exclusividade para EXAME, em seis segmentos econômicos: educação, comércio, serviços, indústria, mercado imobiliário e agropecuária.

Para chegar à lista do comércio, foram analisados onze indicadores, entre eles, saldo de empregos e a renda média do trabalhador do setor, nas cidades com mais de 100 mil habitantes.

Em 2021, a consultoria também avaliou o ritmo de vacinação e taxa de letalidade da covid-19 em cada um dos municípios, no dia 15 de outubro, para uma fotografia de comparação.

Guilherme Dietze, assessor econômico da FecomercioSP, avalia que a cidade é o comércio do Brasil e, por isso, se destaca no cenário nacional. “É uma cidade que não só atende a região, é a maior distribuidora de produtos para o todo o país. O Brasil todo vai comprar na Rua 25 de março, em Santa Efigênia ou no Brás, para atender os mercados locais”, diz.

De acordo com pesquisa da Fecomércio de São Paulo, o Índice de Confiança dos Empresários do Comércio (ICEC) cresceu pela quarta vez consecutiva em 2021 e avançou 5,4%, ao passar de 107,8 pontos, em agosto, para 113,5 pontos, em setembro.

O prefeito Ricardo Nunes (MDB) destaca que o modelo de controle da pandemia adotado pela cidade foi diferente de outros lugares do mundo, sem o chamado lockdown, onde todas as atividades foram fechadas, onde só ficaram funcionando os serviços de segurança pública e saúde.

“São Paulo se destaca de todas as cidades do Brasil pelo diálogo de conscientização da população. Tivemos posições claras de que estávamos agindo sempre de acordo com a Secretaria da Saúde, e a população compreendeu que não era política. Não tivemos nenhuma ação pensando em voto, popularidade ou desgaste. Foi na medida”, afirma Nunes.

Na próxima quarta-feira, 10, a cidade decide sobre a liberação do uso obrigatório de máscaras. O prefeito aguarda um estudo realizado pela Secretaria Municipal de Saúde para tomar a decisão. Outras cidades, como o Rio de Janeiro, já liberaram o uso compulsório em locais abertos.

“Os técnicos me deram o prazo de 10 de novembro. Daqui até lá vamos monitorar. O estudo é feito com 15.622 pessoas, é um volume bastante grande para nos dar assertividade na decisão. Pode ser que no dia 10 eles falem que a máscara continua ou não. O que eles me trouxerem, eu vou decidir, independentemente de popularidade. Não vou tomar atitude para agradar, mas para preservar as pessoas”, diz Nunes.

Últimas Notícias

Ver mais
Bolsonaro defende anistia para presos de 8 de janeiro e minimiza acusações de golpe
Brasil

Bolsonaro defende anistia para presos de 8 de janeiro e minimiza acusações de golpe

Há 4 horas

Apoiadores de Bolsonaro se reúnem em ato na Av. Paulista
Brasil

Apoiadores de Bolsonaro se reúnem em ato na Av. Paulista

Há 6 horas

Antes de ato na Paulista, petistas lembram 8/1 e dizem que Bolsonaro 'cometeu muitos crimes'
Brasil

Antes de ato na Paulista, petistas lembram 8/1 e dizem que Bolsonaro 'cometeu muitos crimes'

Há 6 horas

Apoiadores de Bolsonaro fazem ato com pedido de impeachment de Lula e bandeira de Israel
Brasil

Apoiadores de Bolsonaro fazem ato com pedido de impeachment de Lula e bandeira de Israel

Há 7 horas

Continua após a publicidade
icon

Branded contents

Ver mais

Conteúdos de marca produzidos pelo time de EXAME Solutions

Exame.com

Acompanhe as últimas notícias e atualizações, aqui na Exame.

Leia mais