Brasil

Chanceler francês ironiza "urgência capilar" de Bolsonaro

O presidente justificou a decisão de não se reunir com Le Drian pelo fato de o chanceler francês ter agendado encontros com ONGs

Bolsonaro corta cabelo em "live" (reprodução/Facebook)

Bolsonaro corta cabelo em "live" (reprodução/Facebook)

A

AFP

Publicado em 4 de agosto de 2019 às 09h46.

O ministro francês das Relações Exteriores, Jean-Yves Le Drian, ironizou neste domingo o que chamou de "urgência capilar" que levou o presidente do Brasil, Jair Bolsonaro, a cancelar uma reunião prevista na segunda-feira passada.

O presidente brasileiro, descontente com a decisão do chefe da diplomacia francesa de reunir-se com representantes de ONGs - a maioria críticas a Bolsonaro -, cancelou o encontro no último minuto e publicou um vídeo no Facebook enquanto cortava o cabelo, no horário momento em que estava programada a reunião com Le Drian.

"Todo mundo conhece as restrições próprias das agendas dos chefes de Estado. Ao que parece, houve uma emergência capilar. Essa é uma preocupação que é estranha para mim", declarou Le Drian, em uma referência irônica a sua calvície, em uma entrevista ao Journal du Dimanche.

Ele considerou a visita ao Brasil "muito positiva".

"Tive encontros com meu colega, com a sociedade civil brasileira, em particular com ONGs, mas também com a sociedade civil econômica. Também me reuni com os governadores de vários estados. A França tem o interesse de conversar com o Brasil, com todos os brasileiros".

O presidente brasileiro justificou a decisão de não se reunir com Jean-Yves Le Drian pelo fato de o chanceler francês ter agendado encontros com ONGs.

A reunião entre ambos, que deveria ter acontecido ao meio-dia de segunda-feira, foi oficialmente cancelada "por questões de agenda".

Acompanhe tudo sobre:FrançaJair Bolsonaro

Mais de Brasil

Gonet diz que 'não faz sentido' proibir delação premiada de presos, proposta em discussão na Câmara

STF tem maioria para derrubar pontos da reforma da Previdência que atingem servidores públicos

CCJ do Senado aprova liberação de cassinos, bingos e jogo do bicho

Mais na Exame