Brasil precisa de três BNDES, diz Steinbruch

Em entrevista ao "Momento da Economia", que estreia hoje na Rádio EXAME, o presidente da Fiesp defende o banco estatal, que tem sido criticado por analistas

Steinbruch: "Baixe o juro pelo amor de Deus"

Steinbruch: "Baixe o juro pelo amor de Deus"

DR

Da Redação

Publicado em 28 de outubro de 2010 às 14h12.

São Paulo - No cargo de presidente da Federação das Indústrias do Estado de São Paulo (Fiesp) desde junho, Benjamin Steinbruch tem elevado o tom contra a "invasão" de produtos chineses. "Não temos medo de concorrência, mas quando a coisa vem de fora de forma não transparente, isso nos preocupa", diz, referindo-se à China.

O empresário participou do primeiro programa "Momento da Economia", da Rádio EXAME, que terá edições de segunda a sexta. Na entrevista realizada na sede da entidade, em São Paulo, ele afirma que o câmbio valorizado é a maior distorção da economia brasileira. "Baixe o juro pelo amor de Deus (...) Não requer prática nem tão pouco habilidade, é só ter um pouquinho de vontade", afirma o presidente da Fiesp.

Steinbruch, que é controlador da Companhia Siderúrgica Nacional (CSN), defende a expansão dos empréstimos com juros subsidiados pelo BNDES, operações que têm recebido inúmeras críticas de analistas. Entre as argumentações contrárias ao atual papel do banco estatal, estão o custo das operações para o Tesouro (eleva a dívida bruta) e o fato de que alguns grupos empresariais são "escolhidos" para ter acesso aos financiamentos.

"Os bancos privados brasileiros ainda não têm o costume de oferecer crédito de longo prazo para infraestrutura. O BNDES é o único banco que faz isso. Quando eu digo que a gente precisa de três BNDES, é no sentido figurativo, mas a verdade é que o Brasil precisa disso e a gente tem que aplaudir o que o BNDES está fazendo."

Na entrevista, Benjamin Steinbruch fala ainda sobre gastos públicos, reforma tributária, papel dos bancos estatais na redução dos juros, efeitos da capitalização da Petrobras no câmbio, geração de empregos no período pós-crise e ganhos de produtividade nas empresas.

Clique na imagem abaixo para ouvir o primeiro programa "Momento da Economia"

 

Mais de Brasil

Haddad: Pedido dos líderes é para enviar PL da tributária na quarta-feira

Governo e Congresso tentam acordo para votar Perse nesta terça

'Pacote anti-MST' volta à Câmara com projeto que dispensa ordem judicial para retirada de invasores

Vice-líder do governo na Câmara deixa cargo após divergir do Planalto sobre invasões do MST

Mais na Exame