Brasil

Brasil envia empresários a Cuba em busca de reconstruir laços

A missão de quatro dias acontecerá antes da viagem de Lula à ilha caribenha, onde se reunirá com o líder cubano Miguel Díaz-Canel e participará das reuniões do Grupo dos 77

Cuba: Os laços do Brasil com Cuba se deterioraram sob o governo do ex-presidente Jair Bolsonaro (Chris Arsenault/File Photo/Reuters)

Cuba: Os laços do Brasil com Cuba se deterioraram sob o governo do ex-presidente Jair Bolsonaro (Chris Arsenault/File Photo/Reuters)

Bloomberg
Bloomberg

Agência de notícias

Publicado em 2 de setembro de 2023 às 14h32.

Uma delegação de pelo menos 30 empresários brasileiros viajará a Havana na segunda-feira, 4, em busca de oportunidades para impulsionar o comércio com Cuba, no passo mais recente do governo do presidente Luiz Inácio Lula da Silva para tentar reconstruir as relações entre os dois países.

A missão de quatro dias acontecerá antes da viagem de Lula à ilha caribenha, onde se reunirá com o líder cubano Miguel Díaz-Canel e participará das reuniões do Grupo dos 77, uma cúpula econômica das Nações Unidas com países em desenvolvimento.

Os laços do Brasil com Cuba se deterioraram sob o governo do ex-presidente Jair Bolsonaro, embora nunca tenham sido totalmente rompidos. Desde que assumiu o cargo em janeiro, Lula tem procurado reconstruir as relações com Havana e com a Venezuela, e reuniu-se com Díaz-Canel à margem de uma cúpula financeira global em Paris no início deste ano.

Isso criou uma abertura para empresários ansiosos por reforçar as relações comerciais, segundo Jorge Viana, presidente da Agência Brasileira de Promoção de Exportações e Investimentos (Apex), que lidera a viagem.

“Temos a oportunidade de retomar nossas relações comerciais depois que o governo brasileiro anterior deixou de lado Cuba”, disse Viana em nota. “Não faz sentido o Brasil virar de costas para os países da América Central e Caribe, incluindo Cuba, como fizemos nos últimos quatro anos.”

Relação comercial Brasil e Cuba

O Brasil é o quarto maior fornecedor de bens para Cuba, atrás apenas de Espanha, China e EUA, segundo a Apex. Mas o volume das suas exportações em 2022 foi pouco mais da metade do que enviou para a ilha 10 anos atrás.

A viagem incluirá empresários dos setores de transporte aéreo, agricultura, energia e saúde. Os nomes dos integrantes da delegação não foram divulgados.

Alimentos, máquinas industriais, equipamentos de transporte e produtos químicos são as áreas com maiores oportunidades de exportação para Cuba, segundo a Apex. A agência também espera a criação de uma rota aérea comercial ligando São Paulo e Havana, afirmou no comunicado.

Lula também viajará a Nova York para a Assembleia Geral das Nações Unidas neste mês. Ele planeja encontrar o presidente dos Estados Unidos, Joe Biden, cujos esforços para reorientar a política americana em relação aos seus adversários de longa data em Havana têm sido em grande parte ofuscada por outras prioridades globais.

Acompanhe tudo sobre:CubaGoverno Lula

Mais de Brasil

TSE rejeita recursos e Sérgio Moro mantém mandato como senador

Moraes diz que não há nenhuma previsão de adiamento das eleições no Rio Grande do Sul

Motoristas de aplicativo estão trabalhando mais horas e ganhando menos, conclui estudo do Ipea

Senado aprova Programa Nacional de Vacinação em Escolas Públicas

Mais na Exame