Brasil

Após chuvas, Rio Grande do Sul e Santa Catarina podem enfrentar neve, prevê Inmet

Alerta de "Potencial Perigo" tem validade para hoje e risco de acidentes é pequeno

Mateus Omena
Mateus Omena

Repórter da Home

Publicado em 28 de maio de 2024 às 15h42.

Tudo sobreEnchentes no RS
Saiba mais

O Instituto Nacional de Meteorologia (Inmet) emitiu nesta terça-feira, 28, um alerta sobre a possibilidade de neve em partes do Rio Grande do Sul e de Santa Catarina, que já enfrentam graves consequências pelas chuvas.

O aviso tem validade para hoje e o risco de acidentes é pequeno, de acordo com o órgão.

Se o fenômeno ocorrer, a espessura da neve não deve superar os 5 cm. O Inmet também explica que região Serrana e o Nordeste Rio-grandense devem ser as áreas afetadas. O alerta foi classificado como de "Perigo Potencial".

Os municípios que devem ser atingidos pela neve são: Bom Jardim da Serra (SC), Bom Jesus (RS), Lages (SC), Painel (SC), Rio Rufino (SC), São Joaquim (SC), São José dos Ausentes (RS), Urubici (SC) e Urupema (SC).

Estado de calamidade no RS

De acordo com o boletim da Defesa Civil gaúcha, desta terça-feira, 169 pessoas morreram em decorrência da tragédia das chuvas no Rio Grande do Sul. O número de desaparecidos caiu de 56 para 53 pessoas. O comunicado também informa que 2,3 milhões de gaúchos de 469 municípios já foram afetados até agora pela tragédia climática. Há 581 mil pessoas desalojadas e quase 49 mil em abrigos.

No Rio Grande do Sul, há mais de 123 mil pessoas sem energia elétrica. A Corsan afirma que o sistema de abastecimento de água foi normalizado. Atualmente, são 60 trechos com bloqueios totais e parciais em 36 rodovias, entre estradas, pontes e balsas.

(Com informações de O Globo)

Acompanhe tudo sobre:MeteorologiaNeveFrioEnchentes no RSMudanças climáticas

Mais de Brasil

PEC das Drogas avança na Câmara, enquanto STF debate o tema

Enem: MEC avalia necessidade de prova exclusiva para o RS, diz ministro

Caso Marielle: STF julga na terça acusação da PGR que pode tornar réus irmãos Brazão e delegado

FGTS: Barroso afirma que pode alterar voto para mudança na correção começar em 2026

Mais na Exame