Brasil

Após bloqueios de caminhoneiros, Brasília registra filas em postos de gasolina

Em 2018, filas enormes para abastecer os veículos foram vistas Brasil afora por causa da greve de caminhoneiros ocorrida em maio daquele ano e que provocou um crise de desabastecimento no País

VOLTA REDONDA, BRAZIL - OCTOBER 31: A demonstrator waves a Brazilian flag next to a burning barricade as truck drivers and supporters of President Jair Bolsonaro block Via Dutra to protest against the results of the presidential run-off on October 31, 2022 in Volta Redonda, Brazil. Blockades have been registered in at least 11 states. Leftist leader Lula da Silva defeated incumbent Bolsonaro and will rule the country from January 2023. (Photo by Wagner Meier/Getty Images) (Wagner Meier/Getty Images)

VOLTA REDONDA, BRAZIL - OCTOBER 31: A demonstrator waves a Brazilian flag next to a burning barricade as truck drivers and supporters of President Jair Bolsonaro block Via Dutra to protest against the results of the presidential run-off on October 31, 2022 in Volta Redonda, Brazil. Blockades have been registered in at least 11 states. Leftist leader Lula da Silva defeated incumbent Bolsonaro and will rule the country from January 2023. (Photo by Wagner Meier/Getty Images) (Wagner Meier/Getty Images)

EC

Estadão Conteúdo

Publicado em 1 de novembro de 2022 às 09h20.

Última atualização em 1 de novembro de 2022 às 10h25.

Motoristas formam grandes filas em postos de gasolina localizados na Asa Sul de Brasília, região central da capital federal, na manhã desta terça-feira.

O movimento ocorre depois do registro de manifestações e bloqueios de estradas feitos desde ontem por caminhoneiros em vários pontos do País em protesto ao resultado das eleições, que confirmou a derrota do presidente Jair Bolsonaro (PL), que era o candidato da categoria e a vitória de Luiz Inácio Lula da Silva (PT) como o futuro presidente do Brasil.

ACOMPANHE AO VIVO: Paralisação dos caminhoneiros continua pelo Brasil

Em 2018, filas enormes para abastecer os veículos foram vistas Brasil afora por causa da greve de caminhoneiros ocorrida em maio daquele ano e que provocou um crise de desabastecimento no País, incluindo combustíveis.

Além disso, a população teme a volta da alta dos preços dos combustíveis em decorrência da derrota de Bolsonaro nas urnas.

Nesta manhã, o ministro da Justiça, Anderson Torres, informou, por meio das redes sociais, que a Polícia Rodoviária Federal (PRF) trabalha "ininterruptamente" na liberação de estradas no País. De acordo com Torres, até as 5h30 de hoje 192 pontos de bloqueio já haviam sido eliminados.

Ontem à noite, o ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Alexandre de Moraes determinou o desbloqueio de rodovias interditadas por caminhoneiros apoiadores do presidente Bolsonaro desde que foi anunciada a vitória do petista Lula na eleição para o Palácio do Planalto. A Corte já tem maioria para confirmar a decisão do ministro.

LEIA TAMBÉM:

Bolsonaro deve se pronunciar nesta terça-feira sobre resultado da eleição

Ministro da Justiça afirma que PRF está atuando no desbloqueio de estradas

Acompanhe tudo sobre:CaminhõesCaminhoneiros

Mais de Brasil

Lula, 'BolsoNunes' e 'paz e amor': convenção dá tom de como será a campanha de Boulos em SP

Sob gestão Lula, assassinatos contra indígenas no Brasil aumentam 15% em 2023, aponta relatório

PRTB marca data de convenção para anunciar candidatura de Marçal no mesmo dia do evento de Nunes

Moraes defende entraves para recursos a tribunais superiores e uso de IA para resolver conflitos

Mais na Exame