Brasil

Após aprovação pelo Senado, Bolsonaro nomeia Augusto Aras para PGR

Subprocurador foi aprovado pelos senadores por 68 votos a 10 e assume por dois anos o cargo de procurador-geral da República

Augusto Aras: subprocurador foi sabatinado e aprovado pelo Senado nesta quarta-feira (Adriano Machado/Reuters)

Augusto Aras: subprocurador foi sabatinado e aprovado pelo Senado nesta quarta-feira (Adriano Machado/Reuters)

EC

Estadão Conteúdo

Publicado em 25 de setembro de 2019 às 20h27.

Última atualização em 25 de setembro de 2019 às 20h33.

Após ter o nome aprovado pelo Senado nesta quarta-feira, 25, o subprocurador-geral da República Augusto Aras foi nomeado para exercer o cargo de procurador-geral da República, na vaga decorrente do término do primeiro mandato de Raquel Dodge. O Decreto presidencial com a nomeação de Aras está publicado em edição extra do Diário Oficial da União.

Aras passou hoje por sabatina dos senadores da Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) do Senado, que aprovou sua indicação. Em seguida, o plenário do Senado também aprovou o nome de Aras com 68 votos favoráveis, 10 contrários e uma abstenção.

Em uma reunião amigável, com pouco enfrentamento, Aras criticou temas caros ao governo de Jair Bolsonaro, como ao defender "correções" na Operação Lava Jato. Também elogiou a lei de abuso de autoridade ­- "pode produzir um bom efeito" - e se disse a favor do compartilhamento de informações entre o Conselho de Controle de Atividades Financeiras (Coaf) e o Ministério Público.

A sabatina, que começou pouco após as 10h, durou 5h30min, menos do que o previsto e também mais curta do que a de antecessores no cargo - a sabatina de Raquel Dodge levou quase 8h, enquanto a de Rodrigo Janot, 10h30.

Acompanhe tudo sobre:Augusto ArasJair BolsonaroPGR - Procuradoria-Geral da RepúblicaSenado

Mais de Brasil

Prefeito de Canoas diz que reconstrução de prédios públicos demanda mais de R$ 200 milhões

OPINIÃO: Nunca esqueceremos

Enchentes no RS: sobe para 155 o número de mortos; 94 pessoas seguem desaparecidas

Campanhas de Boulos e Tabata veem Datena “roubando” votos de Nunes; MDB acredita em aliança com PSDB

Mais na Exame