Brasil

Analfabetos aumentam de 12,9 milhões para 13,2 milhões

Depois de anos de queda, o analfabetismo subiu de 8,6% para 8,7% em 2012, o que significa mais 300 mil pessoas que não conseguem ler


	Educação: taxa de analfabetos, pessoas que não sabem ler e escrever um recado simples, vinha caindo desde 2004
 (SXC.hu)

Educação: taxa de analfabetos, pessoas que não sabem ler e escrever um recado simples, vinha caindo desde 2004 (SXC.hu)

DR

Da Redação

Publicado em 27 de setembro de 2013 às 11h57.

São Paulo  – O analfabetismo subiu em 2012 em comparação com  2011,  crescendo de  8,6%, (12,9 milhões de pessoas) para 8,7% (13,2 milhões de pessoas), segundo a Pesquisa Nacional de Amostra de Domicílios 2012 (PNAD) do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

A taxa de analfabetismo vinha encolhendo desde 2004. O crescimento do número de analfabetos aconteceu no Nordeste (a taxa foi de 16,9% para 17,4%) e Centro-Oeste (de 6,3% para 6,7%).

Segundo a Agência Brasil, o Nordeste concentrava, em 2012, 54% dos analfabetos de 15 anos ou mais de idade. Entretanto, nos últimos oito anos, foi no Nordeste onde a queda do analfabetismo foi mais elevada (de 22,5% para 14,4%). Entre 2011 e 2012, o percentual caiu nas regiões Sul (4,9% para 4,4%) e Norte (10,2% para 10%).

Acompanhe tudo sobre:AnalfabetismoEducaçãoEstatísticasIBGEPNAD

Mais de Brasil

SP inicia campanha de vacinação contra paralisia infantil

Rio Grande do Sul tem novo alerta de perigo para chuvas e ciclone

Em depoimento, Lessa diz que controlaria milícia e receberia US$ 10 milhões para matar Marielle

Como vão funcionar os embarques e desembarques em Canoas?

Mais na Exame