EXAME Agro

Coreia do Sul abre mercado para carne processada de suínos do Brasil

Terceira abertura de mercado no país asiático para produtos agrícícolas do Brasil nesse ano

César H. S. Rezende
César H. S. Rezende

Repórter de agro e macroeconomia

Publicado em 11 de junho de 2024 às 17h33.

Última atualização em 11 de junho de 2024 às 17h35.

O Ministério da Agricultura e Pecuária (Mapa) anunciou nesta terça-feira, 11, que a Coreia do Sul aprovou o Certificado Sanitário Internacional (CSI) para importar gordura, carne e outras proteínas processadas de suínos destinadas à alimentação animal do Brasil.

De acordo com a nota emitida pela pasta, é a terceira abertura de mercado no país asiático para produtos agrícolas do Brasil nesse ano. Em abril, a Coréia do Sul autorizou a exportação de subprodutos de origem animal farinhas e gorduras de aves – e de dez tipos de produtos à base de camarão.

A nova abertura atende aos requisitos da Associação Brasileira de Reciclagem Animal (ABRA) e suas empresas parceiras, juntamente com os importadores sul-coreanos, que vislumbram o crescimento da indústria de rações na Coreia para suprir a crescente população de animais de estimação na Ásia.

Relação Brasil e Coreia do Sul

Em 2023, a Coreia do Sul foi o oitavo maior destino das exportações de produtos agrícolas do Brasil, com valor total de mais de US$ 3 bilhões.

Desde o início do ano passado, o agronegócio brasileiro alcançou sua 145ª expansão comercial em 51 países – em 2024, já foram abertos 67 novos mercados em 29 países, disse o Mapa.

Acompanhe tudo sobre:AgronegócioBrasilAgroExportações

Mais de EXAME Agro

Opinião: Futuro inquietante, presente promissor

Como ler os rótulos dos alimentos

Governo Lula anula leilão para compra de arroz importado

Batata frita mais cara? Preço da batata sobe mais de 20% em maio; entenda

Mais na Exame