Revista Exame

Como fazer — A Embraco foi do manual para o digital

Como a fabricante de compressores Embraco conseguiu tornar sua fábrica mais produtiva

Fábrica da Embraco: menos imprevistos, mais tempo para melhorias (Raphael Günther/Exame)

Fábrica da Embraco: menos imprevistos, mais tempo para melhorias (Raphael Günther/Exame)

Marina Filippe

Marina Filippe

Publicado em 22 de novembro de 2018 às 04h14.

Última atualização em 23 de novembro de 2018 às 12h11.

PRODUTIVIDADE

Para aumentar a produtividade de suas linhas, os executivos da fabricante de compressores para refrigeração Embraco, com sede em Joinville, Santa Catarina, decidiram digitalizar a manufatura. O projeto, iniciado em 2015, incluiu a integração dos dados do maquinário de sete fábricas, em quatro países. Para isso, um dos primeiros passos foi embutir nessas máquinas sensores capazes de acompanhar em tempo real indicadores como variações inesperadas no consumo de energia, permitindo a identificação de anormalidades antes do surgimento de um problema maior.

Softwares ajudam a processar esses dados constantemente. Parte do sistema foi desenvolvida dentro de casa. A rotina dos funcionários da fábrica mudou, e não apenas porque agora eles têm de lidar com novas tecnologias. O escopo de funções que executam foi ampliado. Com menos imprevistos urgentes, os operadores passaram a se concentrar mais na manutenção preventiva e ganharam tempo para se dedicar a projetos de melhoria contínua. “É um movimento fundamental para garantir a competitividade”, diz Paulo Henrique Seabra Teixeira, vice-presidente de operações da Embraco. Veja alguns dos principais passos e resultados da mudança.

Acompanhe tudo sobre:Embracogestao-de-negociosIndústria

Mais de Revista Exame

Swarovski apresenta coleção baseada nos mistérios subaquáticos

Dress watches: IWC apresenta três modelos do Portugieser

Aplicações na adega: o vinho como investimento financeiro

A luta e o recomeço

Mais na Exame