Acompanhe:

Trabalhar na crise é mais divertido, diz Jorge Gerdau

“Tem uma frase que diz: ‘Animal de barriga cheia não caça’”, completou o empresário, durante evento para empreendedores.

Modo escuro

Continua após a publicidade
O empresário Jorge Gerdau, durante evento para empreendedores (Camilla Alves/ Endeavor Brasil)

O empresário Jorge Gerdau, durante evento para empreendedores (Camilla Alves/ Endeavor Brasil)

M
Mariana Desidério

Publicado em 22 de outubro de 2015 às, 16h39.

São Paulo – Está sofrendo com a crise? Pois saiba que nem todos estão com você. O empresário Jorge Gerdau afirmou hoje que acha divertido trabalhar em períodos de recessão econômica.

“Prefiro trabalhar na crise, minha capacidade criativa é melhor, acho divertido”, afirmou hoje durante o CEO Summit, evento para empreendedores que acontece em São Paulo. “Tem uma frase que diz: ‘Animal de barriga cheia não caça’”, completou o empresário.

Na avaliação de Gerdau, o Brasil passa não por uma crise, mas por várias ao mesmo tempo. “Estamos num período de crise fiscal, econômica, política e moral”, avalia. Apesar do diagnóstico sombrio, o empreendedor lembra que o país já passou por momentos piores.

Mas como sair dessa situação? Para Gerdau, é necessário que os atores da sociedade, em especial os empreendedores, se mobilizem. “A sociedade civil ainda está omissa ou não é ativa no enfrentamento dos problemas”, afirma.

Outro empresário que participou do evento foi Pedro Passos, co-fundador da Natura. Segundo ele “a crise é brava”, mas nenhum empreendedor deve deixar seus planos de lado por conta dela.

“Não esperem a crise passar para fazer o que vocês querem. Sigam em frente, inovem, isso é parte do cenário. Todos os empreendedores dos últimos 50 anos tiveram crises como parte do cenário”, aconselha.

Ao comentar a necessidade de mobilização dos empreendedores, Passos disse também que não se deve esperar a crise passar para iniciar uma atuação social. “Não funciona pensar que ‘primeiro a empresa fica rica e depois nós vamos fazer filantropia’. Pelo contrário, as coisas vêm juntas”, afirma.

Sobre este tema, Gerdau lembra ainda que o crescimento das empresas está associado ao desenvolvimento do país. “Nós todos temos que trabalhar para melhorar o país. Eu comecei querendo fazer algo pela minha paróquia. E então a paróquia foi crescendo, e a minha responsabilidade também”, conclui.

Últimas Notícias

Ver mais
Como escola de negócios virou exemplo da aplicação do "S" da sigla "ESG" 
Um conteúdo Bússola

Como escola de negócios virou exemplo da aplicação do "S" da sigla "ESG" 

Há uma semana

Abilio Diniz: otimista inveterado, empresário deixa legado de busca constante pela excelência
Exame IN

Abilio Diniz: otimista inveterado, empresário deixa legado de busca constante pela excelência

Há uma semana

Marco França: quando é o momento certo para fazer um M&A?
Um conteúdo Bússola

Marco França: quando é o momento certo para fazer um M&A?

Há 4 semanas

Chefe do Benefício: quem é o fenômeno do TikTok que abriu a "Shopee do Brás" e atrai multidões em SP
seloNegócios

Chefe do Benefício: quem é o fenômeno do TikTok que abriu a "Shopee do Brás" e atrai multidões em SP

Há 4 semanas

Continua após a publicidade
icon

Branded contents

Ver mais

Conteúdos de marca produzidos pelo time de EXAME Solutions

Exame.com

Acompanhe as últimas notícias e atualizações, aqui na Exame.

Leia mais