Doria anuncia programa para abrir empresa em até 7 dias

O prefeito de São Paulo abriu a ABF Expo Franchising anunciando novos prazos para a abertura de negócios na cidade
 (Keiny Andrade/ABF/Divulgação)
(Keiny Andrade/ABF/Divulgação)
M
Mariana Fonseca

Publicado em 21/06/2017 às 15:46.

Última atualização em 22/06/2017 às 16:02.

São Paulo – A partir deste mês, abrir sua própria empresa na cidade de São Paulo será uma tarefa menos burocrática: todo o processo demorará, no máximo, uma semana.

Essa é a promessa do prefeito João Doria, que anunciou o programa Empreenda Fácil na abertura da ABF Expo Franchising. A 26ª edição da feira, organizada pela Associação Brasileira de Franchising (ABF), começa hoje e vai até o próximo sábado (de 21 a 24 de junho).

O Empreenda Fácil foi desenvolvido neste ano, com a proposta de tornar a vida do empreendedor menos burocrática.

O programa é uma parceria entre Governo Federal (por meio da Receita Federal), Governo do Estado de São Paulo (por meio da Junta Comercial do estado) e a Prefeitura de São Paulo. O Sebrae Nacional e o Sebrae de São Paulo também estão envolvidos.

De acordo com o prefeito de São Paulo, até o dia 31 de maio a abertura de uma empresa levava no mínimo 128 dias para ocorrer. Na virada para junho, o programa Empreenda Fácil começou sua fase introdutória. Desde então, o tempo para abertura caiu para até sete dias.

“Derrubamos a burocracia, estabelecemos um novo patamar de código, registro e protocolo e fizemos um verdadeiro tiro para agilizar o procedimento e estimular os novos empreendedores”, diz Doria.

Até 31 de dezembro, a meta é baixar o tempo de abertura de sete para cinco dias. Até 31 de maio de 2018, quando o Empreenda Fácil completará um ano de operação, o tempo deverá ser reduzido para dois dias.

Segundo o prefeito de São Paulo, o prazo de dois dias está de acordo com o padrão internacional, adotado por países como Alemanha, Dinamarca, Estados Unidos e Noruega.

Vale lembrar que a redução do tempo de abertura de empresas na cidade de São Paulo foi uma proposta de campanha de João Doria, divulgada em sabatina com a Endeavor.

Outras medidas para estimular o empreendedorismo são os programas de microcrédito já negociados com a Caixa Econômica e o Banco do Brasil. Os acordos com Itaú, Santander e Bradesco para também apoiarem o microcrédito, de uma ordem de 15 a 20 mil reais, estão em fase de finalização.

“Com tudo isso, São Paulo vai estar entre as cinco cidades mais amigáveis para a atividade empreendedora”, projeta o prefeito, que também deu recomendações aos empreendedores.

“Eu não conheci nenhum empreendedor vitorioso que fosse pessimista. Isso porque o pessimista não vai a lugar nenhum. Ele fica, enquanto os otimistas passam”, afirma. “O empreendedor de verdade olha para o horizonte. Esse é o momento de olhar para o futuro. Não percam a esperança no Brasil, apesar de todas as circunstâncias lamentáveis pelas quais estamos passando.”