A nova moda no Vale do Silício: jejum intermitente para trabalhar melhor

Segundo os entusiastas da técnica, ficar sem comer ajuda a prevenir doenças como Alzheimer e melhora a produtividade.
Jejum: empreendedores do Vale do Silício agora ficam sem comer (Thinkstock/Foto)
Jejum: empreendedores do Vale do Silício agora ficam sem comer (Thinkstock/Foto)
Por Mariana DesidérioPublicado em 03/05/2018 06:00 | Última atualização em 03/05/2018 06:00Tempo de Leitura: 2 min de leitura

São Paulo – Não é segredo que os empreendedores baseados no Vale do Silício gostam de buscar novidades, seja no mundo dos negócios, seja em maneiras de levar a vida. Recentemente, eles encontraram uma nova moda: jejuar para melhorar a saúde e aumentar a produtividade.

Segundo os entusiastas da técnica do jejum intermitente, ficar sem comer ajuda a prevenir doenças como Alzheimer e no combate ao câncer. Os empreendedores que aderiram à prática também relatam melhora na produtividade e maior clareza de ideias.

Um dos que aderiram à “greve de fome” foi Phil Libin, ex-CEO do Evernote, e atualmente à frente da All Turtles. Ele costuma ficar dias sem comer. “Meu humor melhorou, estou mais focado, e há uma reposição constante de energia. Me sinto muito mais saudável. Está me ajudando a ser um CEO melhor”, disse em entrevista ao The Guardian.

Outro entuasiasta da prática é Geoffrey Woo, CEO da HVMN, uma empresa de biohacking. No ano passado, ele propôs um jejum de sete dias em sua empresa, e monitorou alguns dos participantes para medir seus níveis de glicose e cetona, um composto considerado benéfico para o organismo.

“Você imaginaria que, depois de sete dias sem comer, estaria totalmente distraído e caçando comida. Mas após dois ou três dias a fome diminui e os níveis de cetona aumentam. Você alimenta seu cérebro e seu corpo com uma fonte alternativa de combustível”, disse ao jornal britânico.

Atualmente, a prática do jejum é associada à redução das taxas de doenças degenerativas, como Alzheimer e Parkinson, de doenças cardiovasculares, e até mesmo a uma maior capacidade de combater o câncer. Outros estudos indicam relação entre não comer e uma melhora na memória.

Para quem está à frente de um negócio de rápido crescimento, como é o caso das startups do Vale do Silício, o jejum traz outro benefício prático: menos pausas para comer.

diversos tipos de jejum que podem ser adotados por empreendedores interessados em melhorar sua performance e sua saúde. Você ficar 16 horas sem comer, e se alimentar pelas 8 horas seguintes, por exemplo. Ou ainda passar dias inteiros à base de água e bebidas como chás.

Há também o método que permite apenas uma refeição por dia, e outro que não foca nas horas sem comer, mas sim, na ingestão de poucas calorias.

E você? Vai aderir à moda?