Negócios

Venda de bebidas alcoólicas cai 52% na segunda quinzena de março

Motivo é que 61% do consumo de bebidas alcoólicas acontece em bares, restaurantes, casas noturnas e eventos

Cerveja: entidade, que reúne produtores de destilados, cachaça, cerveja e vinhos, afirma que 40% sentiram um declínio de faturamento ainda maior (Junjira Konsang / EyeEm/Getty Images)

Cerveja: entidade, que reúne produtores de destilados, cachaça, cerveja e vinhos, afirma que 40% sentiram um declínio de faturamento ainda maior (Junjira Konsang / EyeEm/Getty Images)

EC

Estadão Conteúdo

Publicado em 6 de abril de 2020 às 13h22.

Última atualização em 6 de abril de 2020 às 19h24.

A venda de bebidas alcoólicas caiu 52% no período de 15 a 31 de março, segundo a Associação Brasileira de Bebidas (Abrabe). A entidade, que reúne produtores de destilados, cachaça, cerveja e vinhos, afirma que 40% sentiram um declínio de faturamento ainda maior.

O motivo é que 61% do consumo de bebidas alcoólicas acontece em bares, restaurantes, casas noturnas e eventos, de acordo com pesquisa feita pela KPMG para a entidade.

Esses lugares continuam fechados para evitar aglomerações, por conta do controle da proliferação da covid-19.

Para tentar mitigar o impacto da restrição ao consumo, a Abrabe diz negociar uma série de medidas com o poder público, como a postergação do recolhimento de tributos e disponibilização de linhas de crédito.

As empresas do setor geram mais de 30 mil vagas. Mesmo com a crise, elas já doaram mais de 200 mil litros de álcool 70% para hospitais, asilos e comunidades.

Acompanhe tudo sobre:bebidas-alcoolicasCoronavírus

Mais de Negócios

Empreendedor produz 2,5 mil garrafas de vinho por ano na cidade

Após crise de R$ 5,7 bi, incorporadora PDG trabalha para restaurar confiança do cliente e do mercado

Após anúncio de parceria com Aliexpress, Magalu quer trazer mais produtos dos Estados Unidos

De entregadores a donos de fábrica: irmãos faturam R$ 3 milhões com pão de queijo mineiro

Mais na Exame