Vale fecha pré-acordo de US$ 25 mi em ação coletiva nos EUA sobre Mariana

O processo foi movido por investidores que acusaram a empresa de omitir ou ocultar informações sobre suas políticas de riscos e procedimentos de segurança
Mariana: cidade foi devastada por lama após rompimento de barragem de mineração (mbfotoarte/Getty Images)
Mariana: cidade foi devastada por lama após rompimento de barragem de mineração (mbfotoarte/Getty Images)
Por ReutersPublicado em 07/02/2020 21:37 | Última atualização em 07/02/2020 21:37Tempo de Leitura: 2 min de leitura

A mineradora Vale chegou a acordo preliminar de 25 milhões de dólares para encerrar ação coletiva movida contra a companhia nos Estados Unidos após o rompimento de barragem da Samarco em Mariana (MG) em 2015, em acerto que ainda precisará passar por aprovações judiciais, segundo documento visto pela Reuters.

O processo foi movido por investidores estrangeiros que acusaram a Vale, sócia da Samarco junto à BHP, de omitir ou ocultar informações sobre suas políticas de riscos e procedimentos de segurança, o que segundo eles teria levado a prejuízos com o desastre.

A proposta de acordo em troca de um pagamento em dinheiro aos reclamantes vem após meses de negociações com apoio de um mediador. Um tribunal ainda deverá ouvir as partes e determinar se a proposta é "justa, razoável e adequada", segundo o documento judicial.

Após a aprovação preliminar do acerto por um tribunal, uma audiência final deverá ser agendada para ouvir as partes e definir a validade do acordo.

O rompimento da barragem de Fundão matou 19 pessoas e afetou fortemente o rio Doce, em incidente que foi apontado na época como o maior desastre ambiental da história do Brasil.