Negócios

São Paulo é a cidade do mundo que mais usa o recurso de viagem do Tinder

Com a pandemia de coronavírus, aplicativo de namoro liberou função que permite conhecer pessoas de qualquer lugar do planeta

Tinder: O Brasil é o maior mercado do APP de relacionamentos na América Latina. (Mateusz Slodkowski/SOPA Images/LightRocket/Getty Images)

Tinder: O Brasil é o maior mercado do APP de relacionamentos na América Latina. (Mateusz Slodkowski/SOPA Images/LightRocket/Getty Images)

CI

Carolina Ingizza

Publicado em 23 de abril de 2020 às 13h15.

Com as viagens limitadas em todo o mundo por causa da pandemia causada pelo novo coronavírus, a saída foi buscar conexões internacionais online. Desde o dia 27 de março, o aplicativo de namoro Tinder liberou gratuitamente o recurso Passaporte, que permite que os usuários da plataforma conheçam pessoas de qualquer cidade do planeta. A ação aumentou o uso do app: em um único dia, mais de 3 bilhões de perfis foram vistos na plataforma. 

Essa semana, a empresa divulgou que, de todo o mundo, os usuários da cidade de São Paulo são os que mais utilizam ferramenta gratuita. A cidade também é o destino favorito dos usuários brasileiros, seguida por Nova York e Los Angeles, nos Estados Unidos. 

As três cidades que mais receberam “turistas virtuais” no Tinder foram Los Angeles, Nova Iorque e Londres, no Reino Unido. Depois, está Paris, na França; Amsterdã, na Holanda; Madrid, na Espanha; Tóquio, no Japão; Barcelona, na Espanha; Seul, na Coreia do Sul; e Estocolmo, na Suécia.

O Tinder também divulgou quais são as cidades que mais se visitam no mundo. Em primeiro lugar, estão os usuários de São Paulo, que optam por ir a Nova York. Depois, aparece Buenos Aires, que visita Madrid. Nos Estados Unidos, os moradores de Nova York optam por conhecer pessoas de Los Angeles. Na Índia, as pessoas de Nova Deli buscam conversas com os usuários de Mumbai. Em Istambul, na Turquia, a destino mais frequente é Kiev, na Ucrânia. 

Os solteiros do mundo estão ansiosos pelo fim do isolamento social. Em Wuhan, na China, depois de quase três de meses de quarentena total, os moradores ansiavam por voltar à vida normal. Além das ruas cheias, o ânimo foi tanto que levou o principal aplicativo de namoro da região a travar temporariamente no dia 8 de abril, primeiro dia pós-quarentena. A informação foi divulgada pela própria fabricante, a Alipay, da gigante de tecnologia Alibaba. O app teve alta de 300% nos acessos. 

Acompanhe tudo sobre:Appssao-pauloTinderViagens

Mais de Negócios

Adeus, CLT? Franquia é modelo de negócio ideal para quem vai começar a empreender, diz especialista

Papo de Empreendedores: conectividade, empreendedorismo e energia embalam painéis para PMEs; assista

Faturamento das PMEs cresce 5,2% no segundo trimestre

Fintech de música, Strm capta R$ 35 milhões e atrai dupla sertaneja Henrique e Juliano em rodada

Mais na Exame