Negócios

Embraer vê demanda de 240 novos jatos de 70 a 130 assentos

A previsão é de que a frota desse segmento na África avance das atuais 120 unidades para 260 aviões até 2034


	Logo da Embraer: de acordo com a empresa, ainda existem muitas oportunidades de conectividade dentro da África
 (Eric Piermont/AFP)

Logo da Embraer: de acordo com a empresa, ainda existem muitas oportunidades de conectividade dentro da África (Eric Piermont/AFP)

DR

Da Redação

Publicado em 28 de abril de 2016 às 12h11.

São Paulo - A Embraer prevê a entrega de 240 novos jatos no segmento de 70 a 130 assentos para o continente africano ao longo dos próximos 20 anos, de acordo com perspectivas de mercado divulgadas pela fabricante nesta quinta-feira.

A previsão é de que a frota desse segmento na África avance das atuais 120 unidades para 260 aviões até 2034.

Os catalisadores do crescimento do transporte aéreo no continente devem ser principalmente a expansão econômica, a crescente classe média urbana, a contínua liberalização do mercado e a integração regional, disse o vice-presidente para América Latina, África e Portugal da Embraer Aviação Comercial, Simon Newitt, em comunicado.

De acordo com a empresa, ainda existem muitas oportunidades de conectividade dentro da África, embora o tráfego permaneça concentrado nas grandes cidades.

Dos mais de 300 aeroportos operacionais na região no ano passado, somente oito conectam 25 ou mais cidades, enquanto 240 ligam apenas cinco ou menos cidades, disse a Embraer.

A empresa tem mais de 40% de participação de mercado no segmento de jatos até 130 assentos na África.

Acompanhe tudo sobre:América LatinaEmbraerEmpresasEmpresas abertasempresas-de-tecnologiaSetor de transporte

Mais de Negócios

Para se recuperar, empresas do maior hub de inovação do RS precisam de R$ 155 milhões em empréstimos

Investida do bilionário Bernard Arnault, startup faz sucesso usando IA para evitar furtos no Brasil

Riverwood Capital investe R$ 126 mi e quer levar startup mineira de gestão de contratos ao mundo

Oxxo por delivery: rede de "mercadinhos de bairro" anuncia parceria com o Rappi

Mais na Exame