Mundo

Qual é o país mais seguro do mundo? Brasil está muito longe do top 10 no ranking da paz

Estudo apresenta uma análise sobre as tendências de paz em 163 países, abrangendo 99,7% da população mundial

Ranking da paz: estudo analise 163 países e classifical nível de segurança (Divulgação/Getty Images)

Ranking da paz: estudo analise 163 países e classifical nível de segurança (Divulgação/Getty Images)

Rebecca Crepaldi
Rebecca Crepaldi

Repórter de finanças

Publicado em 30 de abril de 2024 às 08h20.

Um levantamento internacional do Instituto de Economia e Paz (IEP) colocou o Brasil na 132ª posição no ranking global da paz de um total de 163 países analisados. O Brasil faz parte da lista de 25 países com “baixa segurança”, junto com Israel e Palestina, atualmente em guerra. O estudo, chamado Índice Global da Paz (GPI, na sigla em inglês), é a principal medida mundial da paz global e está em sua 17ª edição, referente ao ano de 2023.

Em comparação com os países da América do Sul, o Brasil também é considerado um dos países mais inseguros. Em um ranking de 11 países, ele está na 8ª posição, ficando atrás somente de Venezuela e Colômbia. Dentre os vizinhos, o Uruguai foi considerado o país com mais seguro, englobando também a lista de 64 países com mais segurança, na 50ª posição.

O estudo apresenta uma análise sobre as tendências de paz em 163 países, abrangendo 99,7% da população mundial. Para isso, utiliza-se de 23 indicadores qualitativos e quantitativos e mede o estado de paz em três domínios: nível de segurança e proteção social; extensão de conflito interno e internacional em curso; e grau de militarização.

Qual é o país mais seguro?

A campeã do ranking é a Islândia. O país ocupa a primeira posição no ranking global da paz por causa de alguns fatores, segundo o estudo. Um deles é o baixo índice de criminalidade, incluindo taxas de homicídio e crimes violentos significativamente inferiores à média global.

“No entanto, a Islândia registrou uma deterioração de 4% em sua pontuação geral como resultado de um aumento na taxa de homicídios e também do indicador de impacto do terrorismo. Este é o primeiro ano em que qualquer atividade terrorista foi registrada no país. Quatro indivíduos foram presos e acusados de planejar ataques terroristas contra o parlamento islandês e vários políticos islandeses proeminentes”, afirma o relatório.

O estudo também lista a Islândia como o país com a pontuação mais baixa em termos de militarização, o que contribui para a percepção de segurança e estabilidade no país. Outro fator analisado e pontuado no estudo é o respeito aos direitos humanos, sendo a Islândia conhecida por seu forte compromisso com as liberdades civis e igualdade de gênero, além do “bem-estar social”, com altos níveis de igualdade, acesso a serviços de saúde e educação de qualidade, o que ajuda a reduzir conflitos.

Acompanhe tudo sobre:IslândiaBrasilSegurança públicaDireitos HumanosMilitares

Mais de Mundo

Setor espacial privado: o novo campo de batalha entre China e Estados Unidos

Ascensão da extrema direita na Alemanha dá pior resultado aos social-democratas nas eleições da UE

Eleições para Parlamento Europeu são encerradas; resultado pode deslocar assembleia para a direita

Lula vai à Itália para participar da Cúpula do G7

Mais na Exame