Mudanças no Fed: EXAME Research explica impactos no dólar e no mercado

Banco Central dos EUA passará a admitir inflação mais alta e isso vai trazer impactos para os juros no Brasil e para a taxa de câmbio

As novas diretrizes do banco central mais poderoso do mundo, o Federal Reserve, não trazem consequências apenas para a economia americana e global. Ao afirmar que o Fed será mais tolerante com a inflação média de 2% ao ano, Jerome Powell traz implicâncias para o mercado.

“É uma questão aritmética: como a inflação ficou abaixo da meta de 2% ao ano no ciclo recente [mesmo antes da pandemia], é necessário que ela fique acima de 2% à frente para que, na média do ciclo, a meta tenha sido atingida [por isso, average inflation targeting]”, escrevem Arthur Mota e Renato Mimica, respectivamente economista e executivo-chefe de investimentos (CIO) da EXAME Research.

“É basicamente licença para inflação mais alta, dando liberdade para a política monetária conviver com crescimento de preços mais elevados”, completam os dois especialistas. 

E como isso se reflete sobre o mercado no mundo e, em particular, no Brasil? Mota e Mimica inicialmente explicam o contexto dessa repercussão causada pelo juro americano.

“Trazendo para a nossa realidade, mudanças no juro americano provocam impacto tanto nos juros brasileiros como na própria taxa de câmbio em si. O juro deprimido por mais tempo lá fora (…) resulta num diferencial de juros maior — o que torna mais atrativo os títulos domésticos”, avaliam.

Em seguida, eles afirmam: “Isso pode trazer um fluxo de investimentos financeiros que valorizariam o Real”. Eles reiteram que a projeção deles para o câmbio ao fim deste ano e de 2021 já contempla esse movimento de queda do dólar para baixo do patamar atual de 5,60 reais.

“Por fim, esses impactos no juro e mudança na taxa de câmbio devem impactar outros mercados, como o de ações, no geral de forma positiva, sendo que os papéis de algumas empresas são sensíveis a esses dois preços”, escrevem Mota e Mimica no relatório especial da EXAME Research. São exemplos empresas exportadoras e aquelas mais sensíveis aos juros, como as de varejo e de construção.

 

 

Você já leu todo conteúdo gratuito deste mês.

Assine e tenha o melhor conteúdo do seu dia, talvez o único que você precise.

Já é assinante? Entre aqui.

Deseja assinar e ter acesso ilimitado?

exame digital

R$ 15,90/mês

  • Acesse onde e quando quiser.

  • Acesso ilimitado a conteúdos exclusivos sobre macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo, tecnologia e finanças.

exame digital + impressa

R$ 44,90/mês

  • Acesse onde e quando quiser

  • Acesso ilimitado a conteúdos exclusivos sobre macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo, tecnologia e finanças.

  • Edição impressa quinzenal.

  • Frete grátis
Apoie a Exame, por favor desabilite seu Adblock.