Mercados

Kroton sobe 6,4% na Bolsa de olho em aquisições

A companhia informou que pode comprar 16 ativos em educação básica, dos quais três estão em estágio avançado de negociação

Kroton: ações sobem forte após companhia afirmar que pode comprar 16 ativos (Divulgação/Divulgação)

Kroton: ações sobem forte após companhia afirmar que pode comprar 16 ativos (Divulgação/Divulgação)

Karla Mamona

Karla Mamona

Publicado em 3 de outubro de 2017 às 16h13.

Última atualização em 3 de outubro de 2017 às 17h38.

São Paulo - As ações da Kroton terminara a sessão desta terça-feira em alta de 6,41%, a 21,09 reais.

A companhia informou, por meio de uma apresentação a investidores, que pode comprar 16 ativos em educação básica, dos quais três estão em estágio avançado de negociação.

A Kroton explicou que são marcas com forte reputação e com grande potencial de ganho de mercado. A estratégia também prevê conversão de colégios com boa infraestrutura e localização, porém sem marca forte, em segmento premium.

Somos Educação

Na última semana, rumores de que a Kroton poderia comprar a Somos Educação impactaram as ações da companhia na Bolsa.

Uma nota publicada pela coluna do Broad, no Estadão, confirmava a informação. Segundo o jornal, a Somos quer novos recursos e entre os caminhos estão a busca por um novo sócio ou a venda. A companhia afirmou que não comenta rumores, enquanto a Kroton explicou que avalia constantemente oportunidades de fusões e aquisições.

Rejeição do Cade

Em junho, o Cade rejeitou , por 5 votos a 1, a fusão de Kroton e Estácio, uma operação que criaria um grupo com mais de 1,5 milhão de alunos. 

Apesar da rejeição, as ações da companhia acumulam alta de 58% na Bolsa desde janeiro.

 

Acompanhe tudo sobre:bolsas-de-valoresCogna Educação (ex-Kroton)EducaçãoEscolasInvestidoresSomos Educação

Mais de Mercados

Goldman Sachs vê cenário favorável para emergentes, mas deixa Brasil de fora de recomendações

Empresa responsável por pane global de tecnologia perde R$ 65 bi e CEO pede "profundas desculpas"

Bolsa brasileira comunica que não foi afetada por apagão global de tecnologia

Ibovespa fecha perto da estabilidade após corte de gastos e apagão global

Mais na Exame