• BVSP 117.669,90 -0,5%
  • USD 5,6926 +0,0000
  • EUR 6,7616 +0,0000
  • ABEV3 15,43 -0,13%
  • BBAS3 29,27 +0,55%
  • BBDC4 25,25 +0,04%
  • BRFS3 23,91 -1,97%
  • BRKM3 43,57 -0,98%
  • BRML3 9,95 +1,95%
  • BTOW3 62,7 -0,85%
  • CSAN3 89,25 -0,45%
  • ELET3 35,45 -1,50%
  • EMBR3 16,02 -0,37%
  • Petróleo 59,31 +0,00%
  • Ouro 1.755,30 +0,00%
  • Prata 25,36 +0,00%
  • Platina 1.209,30 +0,00%

Cobre cai, reagindo a PMIs fracos da indústria da China

Na Comex, divisão de metais da New York Mercantile Exchange (Nymex), o cobre para dezembro recuava 1,16%, a US$ 2,3105 a libra-peso, às 8h35

Londres - Os contratos futuros de cobre operavam em baixa nesta terça-feira, depois da divulgação de números mais fracos do índice de gerentes de compra (PMI, na sigla em inglês) oficial e privado da indústria da China. Os resultados das pesquisas deram novo impulso ao temor sobre a demanda chinesa pelo metal.

Na London Metal Exchange (LME), o contrato de cobre para três meses caía 0,9%, a US$ 5.089 a tonelada, às 8h30 (de Brasília), após atingir na sessão anterior a máxima em dez dias, a US$ 5.197,50 a tonelada.

Na Comex, divisão de metais da New York Mercantile Exchange (Nymex), o cobre para dezembro recuava 1,16%, a US$ 2,3105 a libra-peso, às 8h35.

Os PMIs da indústria da China atingiram mínimas em vários anos em agosto. "A atividade econômica na indústria chinesa parece ter desacelerado ultimamente", disse o Commerzbank em nota. "A China representa cerca da metade da demanda global pelo metal, por isso os preços estão caindo", afirmou o banco.

A China é o maior consumidor global de cobre e os movimentos de sua economia se refletem de perto nos preços do metal. Ainda assim, a Investec prevê que alguns problemas do lado da oferta devem dar apoio ao cobre, no curto prazo.

Entre outros metais básicos na LME, o alumínio caía 0,6%, a US$ 1.593,50 a tonelada, o zinco subia 1,1%, a US$ 1.828,50 a tonelada, o níquel operava em baixa de 2,9%, a US$ 9.770 a tonelada, o chumbo subia 0,1%, a US$ 1.734 a tonelada e o estanho avançava 0,4%, a US$ 14.250 a tonelada. 

Obrigado por ler a EXAME! Que tal se tornar assinante?


Tenha acesso ilimitado ao melhor conteúdo de seu dia. Em poucos minutos, você cria sua conta e continua lendo esta matéria. Vamos lá?


Falta pouco para você liberar seu acesso.

exame digital

R$ 12,90
  • Acesse onde e quando quiser.

  • Acesso ilimitado a conteúdos exclusivos sobre macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo, tecnologia e finanças.
Assine

exame digital + impressa

R$ 29,90/mês
  • Acesse onde e quando quiser

  • Acesso ilimitado a conteúdos exclusivos sobre macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo, tecnologia e finanças.

  • Edição impressa mensal.

  • Frete grátis
Assine

Já é assinante? Entre aqui.