Anhanguera é a primeira da classe quando a matéria é ação, diz Ágora

Papéis da empresa são os preferidos de analista dentro do setor, que traz perspectivas positivas para todas as empresas
Sala de aula da Anhanguera, em São Paulo: a ação preferida do setor pela Ágora (Kiko Ferrite/EXAME.com)
Sala de aula da Anhanguera, em São Paulo: a ação preferida do setor pela Ágora (Kiko Ferrite/EXAME.com)
L
Lilian SobralPublicado em 12/06/2012 às 11:02.

São Paulo – A Ágora, corretora do Bradesco, revisou suas projeções para as empresas de educação de capital aberto na Bovespa: Anhanguera Educacional (AEDU3), Estácio Participações (ESTC3) e Kroton Educacional (KROT11).

Em relatório para clientes, o analista Filipe Acioli diz que o setor continuará sendo beneficiado pelo cenário macroeconômico positivo, evolução do Fies (Fundo de Financiamento Estudantil), e pela base de expansão de alunos. “O potencial de valorização de todas as empresas cobertas é atrativo e acreditamos que as três apresentarão bons resultados neste ano”, afirmou o analista no documento.

A Anhanguera, embora tenha tido projeções revisadas para baixo, continua sendo a preferida no setor por apresentar o maior potencial de valorização. A Kroton, por sua vez, possui o menor risco de execução na opinião do analista, mas tem também a menor expectaitva de alta na bolsa. Já a Estácio, que tem forte potencial de crescimento, tem um risco de execução maior que o da Anhanguera.
Confira as projeções:

Anhanguera Educacional – recomendação de compra

O preço-alvo para as ações da empresa em dezembro de 2012 passou de 44,50 reais para 37 reais, um potencial de valorização de 52,3%. Para a revisão, o analista incorporou os números do primeiro trimestre deste ano.

O principal motivo para a diminuição da expectativa de alta, segundo o analista, foi a redução nas margens da empresa, causada por um forte movimento de aquisições, que resultou em um número maior de unidades com rentabilidade menor que as já estabelecidas.

“Acreditamos que ocorrerá gradativa convergência dessas margens para os padrões das demais unidades da Anhanguera ao longo dos próximos quatro ou cinco anos”, estima Acioli.

Nota dez

Entre os pontos positivos para a empresa, o analista destaca que a Anhanguera mantém desde sua estreia no mercado a mesma estratégia de crescer com aquisições e investir no ensino a distância.


O analista destaca também que, além de ter bom crescimento orgânico, a companhia tem um bom histórico de incorporação de unidades compradas e desenvolve bem o ensino a distância nas instituições que compra.

Precisa estudar mais

Como risco para as ações, o analista destaca que a empresa ainda está em processo de integração das unidades adquiridas, que aumentaram a exposição da empresa à região metropolitana de São Paulo, onde o mercado é mais competitivo.

Além disso, Acioli também aponta que o avanço mais lento da economia pode afetar os planos de expansão, aumentando a saída de estudantes e trazendo inadimplência.

Estácio Participações – recomendação de compra

A ação da Estácio teve projeção revisada para cima e o preço-alvo passou de 31 reais para 35 reais, potencial de valorização de 45,8%. Para essa revisão, o analista incluiu os últimos ciclos de captação de alunos, com resultados positivos, e a aceleração do crescimento orgânico esperado no médio prazo.

“Acreditamos que o ambiente competitivo se tornou menos acirrado no Rio de Janeiro e a Estácio está bem estruturada para crescer dentro desse cenário, principalmente com ajuda do Fies, que auxiliará na expansão da sua base de alunos”, afirma.

O analista da Ágora estima também que o ritmo de aquisições deverá ser mais lento e que os reajustes de preços no segmento de ensino a distância será menor no médio e longo prazo.

Nota dez

Entre os pontos positivos, a Estácio vem reformulando seu modelo acadêmico, cursos e infraestrutura, o que gera mais oportunidades de crescimento. Além disso, as aquisições são bem feitas, com a seleção de companhias que operam com boas margens em regiões estratégicas.

O analista também destaca que a empresa tem crescido bem no segmento de ensino a distância, que melhora sua rentabilidade, e que os múltiplos da ação da empresa são os mais baixos do setor.

Precisa estudar mais

Como risco, Acioli destaca que boa parte da expectativa de valorização da empresa está baseada em aquisições positivas, mas que tem velocidade de entrega ainda abaixo do esperado.

Além disso, o analista da Ágora destaca que a empresa tem alta necessidade de capital de giro, consumindo caixa, e que ainda existe risco de execução, com margens precisando ser monitoradas.

Kroton Educacional – recomendação de compra

O analista aumentou a projeção para o preço-alvo da empresa de 29,50 reais para 34,50 reais, um potencial de valorização de 23,2%. Para a análise, ele considerou os resultados do primeiro trimestre e as novas metas da companhia.

“Acreditamos que a Kroton continuará aperfeiçoando sua plataforma de ensino presencial, o que implicará numa evolução das margens em um ritmo superior ao que prevíamos”, afirmou Acioli no relatório.

Nota dez

A empresa tem forte exposição ao segmento de ensino a distância, que oferece maior geração de fluxo de caixa, potencial de crescimento e um retorno maior.

Além disso, conta com uma grande base de alunos que estudam pelo Fies, o que reduz as chances de inadimplência, e tem exposição a regiões com bom potencial de crescimento.

Precisa estudar mais

Entre os pontos que podem afetar negativamente a empresa, o analista destaca que a empresa ainda apresenta risco de execução e passa por um processo de integração de empresas adquiridas aquém do esperado.

Além disso, a forte exposição ao segmento de ensino a distância, embora traga reflexos positivos, deixa a empresa dependente e uma eventual queda ou desaceleração das margens no segmento afeta a análise de toda a empresa.
http://d1nfmblh2wz0fd.cloudfront.net/items/loaders/loader_1063.js?aoi=1311798366&pid=1063&zoneid=14729&cid=&rid=&ccid=&ip=