• AALR3 R$ 20,07 -0.64
  • AAPL34 R$ 68,92 3.20
  • ABCB4 R$ 16,74 0.30
  • ABEV3 R$ 14,10 0.57
  • AERI3 R$ 3,85 5.77
  • AESB3 R$ 10,95 2.34
  • AGRO3 R$ 30,96 0.72
  • ALPA4 R$ 20,80 1.66
  • ALSO3 R$ 19,47 2.42
  • ALUP11 R$ 27,24 1.64
  • AMAR3 R$ 2,48 2.90
  • AMBP3 R$ 31,15 3.66
  • AMER3 R$ 24,11 2.73
  • AMZO34 R$ 66,30 -0.51
  • ANIM3 R$ 5,55 1.83
  • ARZZ3 R$ 79,40 -2.41
  • ASAI3 R$ 16,00 0.25
  • AZUL4 R$ 21,94 3.98
  • B3SA3 R$ 12,15 0.91
  • BBAS3 R$ 38,56 4.22
  • AALR3 R$ 20,07 -0.64
  • AAPL34 R$ 68,92 3.20
  • ABCB4 R$ 16,74 0.30
  • ABEV3 R$ 14,10 0.57
  • AERI3 R$ 3,85 5.77
  • AESB3 R$ 10,95 2.34
  • AGRO3 R$ 30,96 0.72
  • ALPA4 R$ 20,80 1.66
  • ALSO3 R$ 19,47 2.42
  • ALUP11 R$ 27,24 1.64
  • AMAR3 R$ 2,48 2.90
  • AMBP3 R$ 31,15 3.66
  • AMER3 R$ 24,11 2.73
  • AMZO34 R$ 66,30 -0.51
  • ANIM3 R$ 5,55 1.83
  • ARZZ3 R$ 79,40 -2.41
  • ASAI3 R$ 16,00 0.25
  • AZUL4 R$ 21,94 3.98
  • B3SA3 R$ 12,15 0.91
  • BBAS3 R$ 38,56 4.22
Abra sua conta no BTG

MIBR: gigante do eSports brasileiro recebe patrocínio de corretora cripto

O maior time de eSports do Brasil e primeiro campeão brasileiro de Counter Strike agora tem como principal patrocinador a corretora de criptomoedas Bybit
Bybit chega ao Brasil com parceria de peso (Reprodução/MIBR/Bybit)
Bybit chega ao Brasil com parceria de peso (Reprodução/MIBR/Bybit)
Por Mariana Maria SilvaPublicado em 12/05/2022 17:25 | Última atualização em 12/05/2022 17:25Tempo de Leitura: 5 min de leitura

Após aterrissar no Brasil, a Bybit não perdeu tempo em anunciar seu primeiro parceiro: o time de eSports MIBR. O primeiro time brasileiro campeão de Counter Strike e o maior do país assinou um contrato de patrocínio de três anos com a corretora cripto de Dubai, e uma série de atividades está por vir.

Além da promoção e do engajamento da comunidade de eSports, ações voltadas para a educação financeira dos gamers em relação aos investimentos em criptoativos e o lançamento de NFTs estão previstos para os próximos três anos de parceria.

“Estou feliz de ter a Bybit como parceira pelos próximos 36 meses! Juntos iremos colocar o MIBR na Web 3.0, entendendo melhor os interesses dos nossos fãs no universo de ativos digitais e entregando experiências grandiosas. Assim como menciona o slogan da Bybit, levaremos o MIBR to the next level [para o próximo nível], declarou a CEO do MIBR, Roberta Coelho.

Fundada em Singapura no ano de 2018, a Bybit possui sede em Dubai e rapidamente se tornou uma das maiores corretoras de criptomoedas do mundo, em 3º lugar entre as corretoras de derivativos e em 15º no mercado à vista, de acordo com dados do CoinMarketCap.

“Estamos ansiosos pela parceria com o MIBR que será o primeiro patrocínio da Bybit Brasil. Nós compartilhamos do espírito esportivo e do desejo de ser o melhor dentro de um jogo. Estando no segmento financeiro e de inovação ou no ambiente competitivo de eSports, para ser um bom jogador é necessário um intenso trabalho para aprimorar o seu desempenho e construir boas estratégias”, afirma o comunicado da empresa.

(Mynt/Divulgação)

Os jogadores do MIBR ainda vão participar do World Series of Trading 2022, evento global realizado pela Bybit. Eles se dividirão em times e apresentarão seus melhores jogadores em uma competição de investimento, liderando seus grupos para conquistar um prêmio de US$ 8 milhões e NFTs, segundo o comunicado.

Com mais de 6 milhões de usuários em todo o mundo, a empresa veio ao Brasil buscar sua expansão na América Latina. De acordo com Guilherme Prado, as parcerias estariam entre os pilares principais da estratégia da Bybit na região.

Guilherme é especialista em criptoativos e gerente de novos negócios da Bybit no Brasil e em Portugal desde 2021. Em entrevista à EXAME, explicou o interesse da corretora no time brasileiro de eSports: “É uma marca ‘Made in Brazil’, e nós da Bybit queremos estar mais presentes na comunidade local e entender o que podemos integrar à região”, afirmou.

Apesar dos jogos em blockchain terem se destacado nos últimos anos, inclusive atraindo empresas de jogos mais tradicionais como Ubisoft e Activision Blizzard, o play-to-earn não está no radar da Bybit, ao menos por enquanto. A empresa pretende observar o mercado amadurecer antes de realizar investimentos no setor, de acordo com Guilherme.

Quando perguntado sobre uma possível migração dos jogadores de eSports para os jogos play-to-earn, ele afirmou: “Sim, eu acredito que no futuro vai existir essa convergência, mas precisamos entender que são coisas diferentes. Acredito que os jogadores de Counter Strike vão vir para o play-to-earn à medida que ele for se amadurecendo”

A preocupação da empresa no momento é ter uma base sólida no Brasil, para garantir sua expansão. “Estamos muito preocupados em ter uma base sólida, e assim a gente pode construir em cima disso”, afirmou Guilherme, que acredita que no universo volátil dos criptoativos, é necessário cuidado na hora de tomar decisões. “Temos que tomar cuidado com o hype, porque o mercado de criptoativos é um mercado muito volátil”.

O anúncio da parceria acontece em meio a ampliação das operações da Bybit no Brasil por meio de um aporte de US$ 50 milhões. O investimento proporcionará a criação de uma equipe dedicada aos investidores brasileiros, além da adaptação de produtos e serviços em português, alinhada à cultura dos investidores do país.

Além do time brasileiro de eSports, a Bybit também é patrocinadora do Oracle Red Bull Racing na Fórmula 1, de outros times de eSports do mundo como Navi e Astralis, do clube de futebol alemão Borussia Dortmund e do clube de futebol japonês Avispa Fukuoka.

A estratégia da empresa no Brasil não pretende parar no MIBR. Apesar de não ter revelado detalhes, Guilherme reconheceu o destaque do país no futebol e afirmou que “algo estaria por vir” neste sentido. “E quando vier, vai ser gigante”, revelou na entrevista.

Siga o Future of Money nas redes sociais: Instagram | Twitter | YouTube | Telegram | Tik Tok

Veja Também

Conta de artista famoso é invadida e hackers roubam R$ 2,1 mi em NFTs
Future of Money
Há 9 horas • 2 min de leitura

Conta de artista famoso é invadida e hackers roubam R$ 2,1 mi em NFTs

Criptoativos são destaque no Fórum Econômico Mundial em Davos
Future of Money
Há 9 horas • 3 min de leitura

Criptoativos são destaque no Fórum Econômico Mundial em Davos

Autor de Pai Rico, Pai Pobre comenta Fórum de Davos e recomenda bitcoin
Future of Money
Há 10 horas • 4 min de leitura

Autor de Pai Rico, Pai Pobre comenta Fórum de Davos e recomenda bitcoin

Clube dos investidores entediados: NFTs entram no olho do furacão
Future of Money
Há 12 horas • 4 min de leitura

Clube dos investidores entediados: NFTs entram no olho do furacão

Web 3.0, NFTs e metaverso: as ferramentas para um futuro descentralizado
Future of Money
Há 17 horas • 4 min de leitura

Web 3.0, NFTs e metaverso: as ferramentas para um futuro descentralizado