Future of Money
Acompanhe:

Globo escolhe tokens em blockchain para neutralizar pegada de carbono da empresa

Em ação inédita, Globo comprará tokens MCO2 para neutralizar suas emissões de carbono em viagens corporativas

Viagens corporativas da Globo vão ser carbono neutras (Wikimedia Commons/Reprodução)

Viagens corporativas da Globo vão ser carbono neutras (Wikimedia Commons/Reprodução)

C
Cointelegraph Brasil

Publicado em 29 de novembro de 2022, 08h48.

Última atualização em 29 de novembro de 2022, 14h18.

A Globo anunciou uma ação inédita, em parceria com a GOL Linhas Aéreas e que consiste na compra da criptomoeda MCO2, da MOSS para neutralizar as emissões de CO2 em viagens corporativas indispensáveis.

A medida foi colocada em prática em setembro, quando todas as viagens de colaboradores Globo, necessárias para o desempenho de suas funções, passaram a ser compensadas pela venda de créditos de carbono aplicados na preservação e reflorestamento de florestas nativas e em projetos de agricultura regenerativa na Floresta Amazônica.

A iniciativa também é viabilizada a partir da união de ambas as companhias com a Moss. Segundo informou a empresa ao Cointelegraph, com essa primeira parceria firmada com a GOL, a Globo estabelece também uma iniciativa de compensação total de deslocamentos aéreos corporativos.

Um token de MCO2 equivale a um crédito de carbono, ou, uma tonelada de gás carbônico que deixa de ser emitida para a atmosfera. Os créditos de carbono possuem certificação internacional e as iniciativas estão de acordo com protocolos da ONU chamados REDD e REDD+ (Redução das Emissões por Desmatamento e Degradação Florestal).

"A partir de agora, a Globo e a GOL se tornam os nossos aliados na preservação do meio ambiente. Juntos, estamos trabalhando em ações efetivas no combate ao desmatamento na Amazônia, e, ao mesmo tempo, no desenvolvimento sustentável da região", afirma Luis Felipe Adaime, fundador e CEO da Moss.

(Mynt/Divulgação)

Globo carbono zero

Em 2019, ano que antecedeu as restrições de viagens por conta da pandemia, mais de 9 mil toneladas de CO2 foram emitidas na atmosfera a partir de trajetos realizados por colaboradores Globo. O projeto expande o programa da companhia aérea que já permite aos passageiros pessoas físicas neutralizar sua pegada de carbono.

No início de 2022 ano, a Globo emitiu seu primeiro sustainability linked bond no valor de US$ 400 milhões em um bônus de dez anos, atrelados a essas metas ambientais de redução de emissão de gases do efeito estufa.

A adoção das melhores práticas ambientais em suas operações está alinhada aos compromissos ESG (Environmental, Social and Governance – em português, Ambiental, Social e Governança) assumidos pela Globo, que vão ao encontro da Agenda 2030, em conformidade com os Objetivos do Desenvolvimento Sustentável (ODS) da ONU.

“Para nós, esse é um passo importante, pois todas as viagens corporativas necessárias e realizadas pela GOL já nascem neutralizadas. Nosso compromisso não está restrito apenas às emissões diretas, mas envolve também as emissões indiretas, no intuito de influenciar toda a cadeia de valor a partir de um modelo de negócio de baixo carbono. Essa é uma das iniciativas que estamos adotando para reduzir nosso impacto ambiental, valorizar e proteger a nossa biodiversidade”, afirma Maurício Gonzalez, diretor do Centro de Serviços Compartilhados da Globo.

Esta não foi a primeira vez que a Rede Globo anuncia exposição ao mercado de tokenização e criptoativos. No ano passado a empresa, junto com a Coinbase e outros players, fecharam uma rodada de investimento na brasileira Hashdex, especializada em fundos e ETFs focados em criptomoedas.

GOL foi pioneira

Para a GOL, essa iniciativa em parceria com a Globo é um importante passo para mitigar os efeitos da aviação comercial nas mudanças climáticas globais. A GOL também tem sido pioneiro no uso de tokens para compensar a pegada de carbono e em junho de 2021, foi a primeira Companhia da América Latina a lançar a possibilidade de seus clientes compensarem, voluntariamente, a pegada de carbono de seus voos, uma iniciativa desenvolvida em parceria com a Moss.

A empresa deu nome de #MeuVooCompensa à campanha voltada para os passageiros, que, em junho de 2022, completou 1 ano. Em 12 meses, foram compensadas mais de 7 mil toneladas de CO2 pelos clientes, o equivalente a 1.745 hectares de florestas preservadas.

O projeto #MeuVooCompensa engloba ainda duas rotas 100% carbono neutro instituídas pela GOL no ano passado: a primeira do Brasil, Recife-Fernando de Noronha-Recife, e a segunda, Congonhas-Bonito-Congonhas. Em ambos os casos, a GOL e a Moss assumem a compensação individual de carbono de todos os clientes e tripulação presentes nesses trechos, disponibilizando a eles o certificado da compensação.

“A parceria entre a Globo e GOL é uma iniciativa pioneira e urgente, que abre novas perspectivas para as viagens corporativas sustentáveis no país. Que seja um exemplo e uma motivação para o engajamento de outras empresas brasileiras em prol da preservação do meio ambiente”, afirma Renzo Mello, diretor de Canais de Vendas da GOL.

Até quando você vai deixar de investir em crypto? Abra sua conta na Mynt e explore novas formas de investir sem medo. Clique aqui para desbloquear seu mundo crypto.

Siga o Future of Money nas redes sociais: Instagram | Twitter | YouTube | Telegram | Tik Tok