Google muda app de pagamentos e lança conta digital gratuita

Plex terá conta corrente, poupança, cartão de débito e várias outras funções; início das operações fica para 2021, inicialmente apenas nos EUA

O Google divulgou nesta quarta-feira (18) a atualização do seu aplicativo de pagamentos, o Google Pay. Totalmente reformulado, o app agora tem um novo design e novas funções, mas a principal novidade foi a criação de uma conta bancária digital integrada, chamada Plex.

“Nova forma de fazer transações bancárias no Google Pay”, diz a companhia. O principal argumento do Google para as contas Plex é que elas vão facilitar o gerenciamento de dinheiro com "todas as suas transações, organizadas automaticamente e pesquisáveis no app Google Pay". Os usuários poderão, por exemplo, pesquisar suas compras por categorias (como "alimentação" ou "combustível"), localização e mês, já que todas as transações serão rotuladas automaticamente.

O novo Google Pay chega com design renovado, que facilita o acesso aos contatos mais utilizados para pagamentos, além de mostrar um mapa com todos os negócios e comércios por perto que aceitam o app da big tech como forma de pagamento e de ter um sistema próprio de recompensas.

A conta digital Plex, por sua vez, estará disponível em 2021, inicialmente apenas nos EUA, e será totalmente gratuita. A conta terá funções como poupança e um cartão de débito emitido com a parceria de bancos e instituições financeiras como Citibank, Stanford Credit Union, BBVA, entre outras.

 (Google/Divulgação/Getty Images)

O aplicativo da conta Plex terá uma série de funções como botôes para depositar e transferir dinheiro, gerenciar o cartão e a conta, criar objetivos financeiros e até a possibilidade de arredondar o valor das transações, colocando os centavos utilizados para isso na poupança, de forma automática, para ajudar a atingir a sua meta de economia.

O lançamento do Google visa atender uma demanda crescente não apenas nos Estados Unidos, mas em todo o mundo, que têm aderido às contas digitais em detrimento das contas bancárias tradicionais, por oferecerem menos custos, serem desenvolvidas com foco em dispositivos móveis, com interfaces simples, intuitivas e agradáveis, e não exigirem saldo mínimo em conta, o que é comum por parte dos grandes bancos dos EUA.

De acordo com o “Índice Global de Adoção FinTech 2019”, da EY, a adoção de serviços de tecnologia financeira entre usuários de internet quase dobrou nos últimos dois anos e continua crescendo em ritmo acelerado — a pandemia do novo cornavírus deve levar o número para patamares ainda mais altos em 2020.

Perguntado sobre a possibilidade de oferecer o serviço no Brasil, o Google afirma que "por enquanto, não há previsão de lançar as novas funcionalidades do Google Pay no Brasil" e que "o anúncio desta quarta-feira (18) só abrange os EUA".

Obrigado por ler a EXAME! Que tal se tornar assinante?


Tenha acesso ilimitado ao melhor conteúdo de seu dia. Em poucos minutos, você cria sua conta e continua lendo esta matéria. Vamos lá?


Falta pouco para você liberar seu acesso.

exame digital

R$ 4,90/mês
  • R$ 14,90 a partir do segundo mês.

  • Acesse quando e onde quiser.

  • Acesso ilimitado ao EXAME Invest, macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo e tecnologia.
Assine

exame digital anual

R$ 129,90/ano
  • R$ 129,90 à vista ou em até 12 vezes. (R$ 10,83 ao mês)

  • Acesse quando e onde quiser.

  • Acesso ilimitado ao EXAME Invest, macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo e tecnologia.
Assine

Já é assinante? Entre aqui.

Veja também