90% dos bancos centrais pesquisados estão considerando CBDCs, diz pesquisa

“Globalmente, mais de dois terços dos bancos centrais consideram que provavelmente emitirão ou poderão emitir uma CBDC de varejo no curto ou médio prazo”, disse o BIS
Em um documento divulgado na sexta-feira, o Departamento Monetário e Econômico do BIS disse que 90% dos 81 bancos centrais pesquisados ​​de outubro a dezembro de 2021 estavam “engajados em alguma forma de trabalho em CBDC”, (metamorworks/Getty Images)
Em um documento divulgado na sexta-feira, o Departamento Monetário e Econômico do BIS disse que 90% dos 81 bancos centrais pesquisados ​​de outubro a dezembro de 2021 estavam “engajados em alguma forma de trabalho em CBDC”, (metamorworks/Getty Images)
Por Cointelegraph BrasilPublicado em 09/05/2022 10:30 | Última atualização em 08/05/2022 23:13Tempo de Leitura: 4 min de leitura

Uma pesquisa realizada pelo Banco de Compensações Internacionais, ou BIS, sugeriu que muitos bancos centrais em todo o mundo estão procurando lançar uma moeda digital de banco central, ou CBDC.

Em um documento divulgado na sexta-feira, o Departamento Monetário e Econômico do BIS disse que 90% dos 81 bancos centrais pesquisados ​​de outubro a dezembro de 2021 estavam “engajados em alguma forma de trabalho em CBDC”, com 26% executando pilotos em CBDCs e mais de 60% fazendo experimentos ou provas de conceito relacionadas a uma moeda digital. De acordo com o BIS, o aumento do interesse em torno de CBDCs – de aproximadamente 83% em 2020 – pode ter sido impulsionado por uma mudança para soluções digitais em meio à pandemia de COVID-19, bem como pelo crescimento de stablecoins e outras criptomoedas.

(Mynt/Divulgação)

“Globalmente, mais de dois terços dos bancos centrais consideram que provavelmente emitirão ou possivelmente emitirão uma CBDC de varejo no curto ou médio prazo”, disse o BIS. “O trabalho em CBDCs por atacado é cada vez mais impulsionado por razões relacionadas à eficiência dos pagamentos transfronteiriços. Os bancos centrais consideram as CBDCs capazes de aliviar os principais pontos problemáticos, como o horário de funcionamento limitado dos sistemas de pagamento atuais e a duração das cadeias de transações atuais.”

Nove em cada 10 #BancosCentrais entrevistados estão envolvidos em alguma forma de trabalho de uma CBDC, de acordo com a pesquisa BIS CPMI. A participação em desenvolvimento ou piloto de CBDC quase dobrou no ano, para 26%, enquanto seis em cada 10 estão fazendo experimentos ou provas de conceito https://t.co/aQhcWCT5g0 pic.twitter.com/7Tk2UkZpVv

— Banco de Compensações Internacionais (@BIS_org) 6 de maio de 2022

O jornal citou o surgimento de várias CBDCs, começando com o lançamento do Sand Dollar das Bahamas em outubro de 2020 e o eNaira da Nigéria um ano depois, bem como o desenvolvimento do DCash do Caribe Oriental e do yuan digital da China em 2021. De acordo com a pesquisa do BIS, mais de 70% dos bancos centrais também estão explorando CBDCs com “colaboração e interoperabilidade do setor privado” para sistemas de pagamento existentes.

“Se bem projetada, uma CBDC pode oferecer acesso a um meio de pagamento digital seguro, instantâneo e eficiente para todos os grupos populacionais, incluindo grupos menos experientes digitalmente da sociedade”, disse Burkhard Balz, membro do conselho executivo do Deutsche Bundesbank, na quarta-feira. “Também seria benéfico se a CBDC pudesse suportar pagamentos offline. As pessoas se beneficiariam de uma alternativa de dinheiro digital e econômica para escolher.”

Entre os 81 países pesquisados ​​– representando 76% da população mundial – 25 foram considerados como tendo “economias avançadas”, incluindo os Estados Unidos e o Japão, a maioria dos quais disse que as stablecoins atreladas e apoiadas por moedas fiduciárias tinham “algum potencial” como um meios de pagamento. Em contraste, mais de 60% dos entrevistados em geral disseram que as criptomoedas eram “triviais ou inúteis” em pagamentos domésticos, e cerca de 40% responderam o mesmo para o uso de criptomoedas em pagamentos internacionais.

O BIS divulgou um documento em abril detalhando como alguns bancos centrais viam as CBDCs como um catalisador para inovação e desenvolvimento, enquanto outros esperavam que a moeda digital funcionasse como um complemento aos sistemas existentes. Em março, a instituição internacional concluiu um programa piloto para acordos internacionais usando CBDCs com os bancos centrais da Austrália, Malásia, Cingapura e África do Sul.

Siga o Future of Money nas redes sociais: Instagram | Twitter | YouTube | Telegram | Tik Tok