Economia

Setor de serviços recua 0,9% em fevereiro, contrariando expectativas de crescimento

Dado vem depois de três meses de expansão. Projeções indicavam alta de 0,2%

IBGE: setor de serviços recua em fevereiro

IBGE: setor de serviços recua em fevereiro

Agência o Globo
Agência o Globo

Agência de notícias

Publicado em 12 de abril de 2024 às 10h54.

Última atualização em 12 de abril de 2024 às 11h19.

O setor de serviços recuou 0,9% no país em fevereiro na comparação com janeiro, informou nesta sexta-feira, 12, o Insituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). O resultado vem negativo depois de três meses consecutivos de alta. No acumulado dos últimos 12 meses, o setor apresenta avanço de 2,2%

Das cinco atividades pesquisadas, apenas hotéis e restaurantes registraram alta, de 0,4%. Quatro tiveram queda no volume em fevereiro:

  • Atividade de profissionais, administrativos e complementares: queda de 1,9%
  • Informação e comunicação: queda de 1,5%
  • Transportes: queda de 0,9%
  • Outros serviços: queda de 1%

O número veio abaixo da mediana de estimativas de 27 casas consultadas pela Bloomberg, que apontavam crescimento de 0,2%. Na comparação com fevereiro de 2023, o volume de serviços cresceu 2,5%.

Segundo Luiz Almeida, analista da pesquisa, o resultado vem de uma correção, depois de três meses seguidos de alta. Um exemplo disso foi o setor de atividade de profissionais, administrativo e complementares, que caiu 1,9% neste mês. A alta em janeiro veio por conta do pagamento de precatórios, influenciando positivamente nas atividades jurídicas:

"As atividades jurídicas, com reflexo do pagamento de precatórios, e a impressão de livros por conta da volta às aulas são receitas não constantes. Portanto, essa queda é uma tendência de voltar ao patamar anterior."

A queda no setor de informação e comunicação, de 1,5%, é também explicada pelo fim da preparação de volta às aulas, que aquece a venda de livros didáticos. No primeiro mês do ano, as férias escolares e a volta às aulas ajudaram a puxar o índice de serviços para cima. Em janeiro, o setor cresceu 0,7%.

Único a registrar avanço, de 0,4%, os serviços de hotéis e restaurantes está apenas 0,2% acima do patamar pré-pandemia. Em janeiro, o setor caiu 2,9%.

O setor de transportes também foi um que registrou queda, de 0,9%. O transporte de passageiros registrou ligeira variação positiva, de 0,1% frente a janeiro, mas o volume do transporte de cargas teve queda de 1,4%.

"O setor de transporte sofreu essa diminuição por conta da redução da safra. Mas também é uma acomodação, assim como janeiro foi muito influenciado por atividade jurídica e impressão de livros" diz Almeida.

Ontem, o IBGE informou que as vendas do varejo subiram 1% em fevereiro, resultado acima das expectativas de analistas.

Acompanhe tudo sobre:Comércio e ServiçosIBGE

Mais de Economia

Petrobras: Magda Chambriard afirma que vai continuar a 'abrasileirar' preços

Cigarro vai ficar mais caro? Governo avalia elevar preço mínimo para compensar desoneração

Às vésperas de votação do Mover, inclusão ou não de taxação de compras de até US$ 50 está indefinida

Brasil tem potencial para receber US$ 3 trilhões em investimentos verdes, diz estudo do BCG

Mais na Exame