Reino Unido eliminará petróleo e derivados russos até final de 2022

O país também está explorando opções para encerrar as importações de gás russo
 (Daniel Acker/Bloomberg)
(Daniel Acker/Bloomberg)
Por Estadão ConteúdoPublicado em 08/03/2022 16:46 | Última atualização em 08/03/2022 16:46Tempo de Leitura: 2 min de leitura

O Reino Unido irá interromper gradualmente a importação de petróleo e seus derivados da Rússia até o fim deste ano, confirmou o secretário de Negócios e Energia do país, Kwasi Kwarteng. A administração também está explorando opções para encerrar as importações de gás russo, informou a autoridade pelo Twitter.

A transição nos próximos meses deve dar "mais do que tempo suficiente" para que o mercado, empresas e cadeias de suprimento substituam as importações russas, que representam 8% da demanda britânica, disse o secretário. "As empresas devem usar este ano para garantir uma transição suave para que os consumidores não sejam afetados", escreveu.

Quer saber tudo sobre a política internacional? Assine a EXAME e fique por dentro.

Kwarteng afirmou que o governo irá trabalhar com companhias em uma nova força-tarefa de petróleo para apoiá-las a usar este período para encontrar fontes alternativas de oferta. "O Reino Unido é um produtor significativo de petróleo e derivados, além de possuir reservas significativas", destacou.

Além da Rússia, a vasta maioria das importações de petróleo ao Reino Unido são provenientes dos "parceiros confiáveis" dos Estados Unidos, Países Baixos e Golfo. O governo britânico trabalhará junto a eles para garantir oferta maior do combustível, disse o secretário.

"O mercado já começou a banir o petróleo russo, com quase 70% dele atualmente incapaz de encontrar um comprador", afirmou Kwarteng.

Em relação ao gás natural, o secretário observou que apenas 4% das importações britânicas vêm da Rússia e, portanto, o país não é dependente dessa relação. Ainda assim, outras opções estão sendo exploradas para "acabar com isso completamente".