Reckitt Benckiser vê Nigéria ao lado do Brasil em 20 anos

A fabricante de bens de consumo vê a Nigéria como um mercado com potencial de alto crescimento que rivalizará com o Brasil a longo prazo

	Torcedores nigerianos de futebol: “as empresas que têm uma perspectiva de longo prazo se tornarão muito bem-sucedidas na Nigéria, porque o potencial desse país é imenso”, diz especialista
 (Toby Melville/Reuters)
Torcedores nigerianos de futebol: “as empresas que têm uma perspectiva de longo prazo se tornarão muito bem-sucedidas na Nigéria, porque o potencial desse país é imenso”, diz especialista (Toby Melville/Reuters)
Por Emele OnuPublicado em 30/10/2015 18:27 | Última atualização em 30/10/2015 18:27Tempo de Leitura: 3 min de leitura

A Reckitt Benckiser Group Plc, fabricante de bens de consumo como o produto de limpeza Dettol e os preservativos Durex, vê a Nigéria como um mercado com potencial de alto crescimento que rivalizará com o Brasil a longo prazo, mesmo que a maior economia da África esteja tendo dificuldade para lidar com a queda nos preços do petróleo e com as restrições cambiais.

“As empresas que têm uma perspectiva de longo prazo se tornarão muito bem-sucedidas na Nigéria, porque o potencial desse país é imenso”, disse o CEO Rakesh Kapoor em entrevista, na quarta-feira, em Lagos, capital comercial da Nigéria.

“Se você quiser investir na Nigéria, não faça isso com a promessa de um retorno imediato no próximo trimestre ou nos próximos 12 meses”.

As vendas da RB têm sofrido quedas na Nigéria em meio ao enfraquecimento da economia, disse Kapoor. O país foi abalado pela queda nos preços do petróleo, e os controles cambiais impostos pelo banco central levaram à supervalorização do naira e a restrições às importações.

O governo do presidente Muhammadu Buhari também corre o risco de repelir os investidores devido à imposição de uma multa de US$ 5,2 bilhões à MTN Group Ltd., a maior empresa de telefonia celular do país, valor que os analistas consideraram excessivo.

“Ainda estamos crescendo, mas não no mesmo ritmo de alguns anos atrás”, disse Kapoor. “Será que alguns dos desafios econômicos impostos pelos preços mais baixos do petróleo causaram um impacto neste país? Sim, causaram”.

População jovem

A Nigéria tem a seu favor uma população relativamente jovem, a maior da África, de cerca de 180 milhões, disse o CEO.

Cerca de 44 por cento dos nigerianos têm menos de 15 anos, segundo dados do Escritório do Censo dos EUA, contra 28 por cento na África do Sul e 17 por cento no Reino Unido, onde a RB tem sede.

“Veja os dados demográficos desse país”, disse Kapoor. “Ainda há um grande número de jovens chegando aos empregos, entrando para a mão de obra e criando riqueza econômica e prosperidade”.

A Nigéria precisa investir mais em saúde, segurança e infraestrutura e melhorar a governança corporativa, disse Kapoor. Se tiver sucesso, o país se tornará mais importante para a RB, que comercializa produtos em quase 200 países.

“Dentro de 20 a 30 anos, em minha opinião, a Nigéria estará lado a lado com o Brasil e a Rússia, o que a transformaria em um dos mercados mais importantes do mundo”, disse ele.