Acompanhe:

Procura por crédito cai 6,8% em julho, revela pesquisa

Segundo o Serasa, inflação alta, juros em elevação e desemprego crescente continuam desestimulando os consumidores a assumir novos compromissos creditícios

Modo escuro

Continua após a publicidade

	Crédito pessoal: recuo no movimento em busca por crédito foi mais expressivo na faixa de renda até R$ 500 mensais
 (Roberto Setton/EXAME)

Crédito pessoal: recuo no movimento em busca por crédito foi mais expressivo na faixa de renda até R$ 500 mensais (Roberto Setton/EXAME)

D
Da Redação

Publicado em 11 de agosto de 2016 às, 12h18.

A busca por crédito no país diminuiu 6,8% em julho último, na comparação com julho de 2015, e 5,3% sobre junho último, diz pesquisa do Indicador Serasa Experian da Demanda do Consumidor por Crédito.

Já no acumulado dos sete primeiros meses do ano, houve alta de 1,7%.

Por meio de nota, os economistas da Serasa afirmaram que, “apesar de discretas melhoras recentes no grau de confiança dos consumidores, inflação alta (puxada por alimentos), juros em elevação e desemprego crescente continuam desestimulando os consumidores a assumir novos compromissos creditícios”.

Queda maior entre os mais pobres

A pesquisa indica que o recuo no movimento em busca por crédito foi mais expressivo na faixa de renda até R$ 500 mensais (-6,7%). Entre os que recebem, mensalmente, de R$ 500 a R$ 1.000, houve uma baixa de 5,3%.

Para os que ganham entre R$ 1.000 e R$ 2.000 mensais, a procura diminuiu 5,1%, o mesmo percentual de queda observada nos ganhos entre R$ 2.000 e R$ 5.000 por mês.

No caso dos consumidores com renda mensal entre R$ 5 mil e R$ 10 mil, a procura caiu em 6% e, na faixa acima de R$ 10 mil, houve retração de 6,4%.

Já de janeiro a julho deste ano comparado ao mesmo período de 2015, ocorreu recuo apenas na classe mais pobre (renda de até R$ 500 mensais) com redução de 2,2%.

Na faixa entre R$ 500 e R$ 1.000, houve elevação de 1,1%; R$ 1.000 e R$ 2.000 (2,6%); renda mensal entre R$ 2 mil e R$ 5 mil (3,0%); renda mensal entre R$ 5 mil e R$ 10 mil (3,1%) e renda mensal acima de R$ 10 mil (2,4%).

Por região, o maior declínio em julho sobre junho último ocorreu no Sudeste (-6,1%), seguido pelas regiões do Nordeste (-5,6%); Sul (-5,0%); Centro-Oeste (-2,9%) e Norte (-2,8%).

No acumulado do ano, a demanda do consumidor por crédito subiu 4,0% na região Sul, 2,5% no Sudeste e no Centro-Oeste. Foram registradas quedas de 3,9% no Norte e de 1,7%, no Nordeste.

Últimas Notícias

Ver mais
GPA lança follow-on mirando de R$ 500 milhões a R$ 1 bi
Exame IN

GPA lança follow-on mirando de R$ 500 milhões a R$ 1 bi

Há 6 horas

Depois do primeiro ano com Extrafarma, Pague Menos acelera conversão de lojas e ganhos de sinergia
Exame IN

Depois do primeiro ano com Extrafarma, Pague Menos acelera conversão de lojas e ganhos de sinergia

Há 8 horas

“Não temos expectativas de prorrogar o Desenrola”, diz secretária-adjunta do Ministério da Fazenda
seloMinhas Finanças

“Não temos expectativas de prorrogar o Desenrola”, diz secretária-adjunta do Ministério da Fazenda

Há 12 horas

Sob nova direção, The Body Shop tem futuro incerto
Exame IN

Sob nova direção, The Body Shop tem futuro incerto

Há 12 horas

Continua após a publicidade
icon

Branded contents

Ver mais

Conteúdos de marca produzidos pelo time de EXAME Solutions

Exame.com

Acompanhe as últimas notícias e atualizações, aqui na Exame.

Leia mais