Economia

Oito estações da CPTM são tombadas em São Paulo

São Paulo - O Conselho de Defesa do Patrimônio Histórico, Arqueológico, Artístico e Turístico do Estado de São Paulo (Condephaat) informou hoje que oito estações da Companhia Paulista de Trens Metropolitanos (CPTM) foram tombadas. As estações são as de Rio Grande da Serra, Ribeirão Pires, Caieiras, Jundiaí, Franco da Rocha, Perus, Jaraguá e Várzea Paulista. […]

EXAME.com (EXAME.com)

EXAME.com (EXAME.com)

DR

Da Redação

Publicado em 10 de outubro de 2010 às 03h46.

São Paulo - O Conselho de Defesa do Patrimônio Histórico, Arqueológico, Artístico e Turístico do Estado de São Paulo (Condephaat) informou hoje que oito estações da Companhia Paulista de Trens Metropolitanos (CPTM) foram tombadas.

As estações são as de Rio Grande da Serra, Ribeirão Pires, Caieiras, Jundiaí, Franco da Rocha, Perus, Jaraguá e Várzea Paulista. A CPTM contabiliza 11 estações tombadas que ainda estão em operação. As estações Luz, Brás e Júlio Prestes se tornaram patrimônio histórico entre 1970 e 1980.

A antiga estação de Santos, conhecida como estação do Valongo, já é patrimônio histórico do Estado, mas hoje pertence à prefeitura local. O Condephaat informou que a resolução de tombamento incorporou dois armazéns, os primeiros de importação e exportação de São Paulo.
 

Acompanhe tudo sobre:cidades-brasileirasEmpresasEmpresas estataisEstatais brasileirasMetrô de São PauloMetrópoles globaismobilidade-urbanasao-pauloSetor de transporteTransporte e logísticaTransporte públicotransportes-no-brasil

Mais de Economia

País pode ter inflação maior que o esperado por causa da tragédia climática no RS, diz Campos Neto

Dívidas sobem 17%, e governo terá de pagar R$ 70,7 bilhões em precatórios em 2025

Caixa destinará R$ 30 mi para recuperação de casas atingidas por enchentes no RS

Por que é importante diversificar a carteira de investimentos?

Mais na Exame