Acompanhe:

Mundo tem queda drástica de novas usinas a carvão (o que é ótimo)

Só no ano passado, houve um declínio de 62% no planejamento de novas usinas a carvão em todo o mundo; China e Índia têm mais de 100 projetos congelados

Modo escuro

Continua após a publicidade
 (Christopher Furlong/Getty Images)

(Christopher Furlong/Getty Images)

V
Vanessa Barbosa

Publicado em 25 de março de 2017 às, 07h45.

Última atualização em 28 de março de 2017 às, 11h25.

São Paulo - O boom das fontes de energia renovável nos últimos anos tem transformado o setor elétrico mundial radicalmente. Mas os investimentos verdes não são os únicos responsáveis por esse processo. Um forte movimento de "desinvestimento" nas fontes poluidoras mais tradicionais também contribui para a transição energética.

Só no ano passado, o número total de centrais de energia a carvão em desenvolvimento despencou em todo o mundo, com um declínio de 48% na atividade de pré-construção e um declínio de 62% em novos projetos.

Os dados são de um relatório lançado nesta semana pela Ong ambientalista Greenpeace, Sierra Club e CoalSwarm. Segundo o estudo, a  queda drástica em 2016 está associada às mudanças nas políticas energéticas em países como China e Índia, altamente dependentes dessa fonte poluente.

Houve uma dramática restrição a novos projetos de usinas de carvão pelas autoridades centrais chinesas e uma redução financeira por parte de apoiadores de usinas a carvão na Índia. Só nos dois países, mais de 100 projetos estão congelados.

Além do declínio no desenvolvimento de novos projetos, a pesquisa também aponta que um recorde de 64 gigawatts de usinas de carvão foram desativados nos últimos dois anos, principalmente na União Europeia e nos EUA, o equivalente a quase 120 grandes unidades geradoras.

De acordo com o relatório, a combinação da desaceleração no planejamento e construção de novas usinas e o aumento expressivo no número de fechamentos de unidades obsoletas traz uma esperança: de que seria possível manter o aumento da temperatura global abaixo de 2°C em relação aos níveis pré-industriais, e evitar os piores efeitos das mudanças climáticas, desde que os países continuem a acelerar a ação.

Alguns países, no entanto, não conseguiram desenvolver seus setores de energia renovável em sintonia com a tendência mundial e continuam a construir e planejar novas usinas de carvão altamente poluentes. É o caso do Japão, Coréia do Sul, Indonésia, Vietnã e Turquia.

Últimas Notícias

Ver mais
Equador suspende jornada de trabalho por dois dias por déficit hidrelétrico
Mundo

Equador suspende jornada de trabalho por dois dias por déficit hidrelétrico

Há 12 horas

Vibra, Suzano e Petrogal se unem em torno do combustível de aviação sustentável
ESG

Vibra, Suzano e Petrogal se unem em torno do combustível de aviação sustentável

Há 14 horas

Marina Silva está na lista das personalidades mais influentes da Time
ESG

Marina Silva está na lista das personalidades mais influentes da Time

Há 16 horas

Governo quer avaliação do serviço de energia elétrica por bairro, diz ministro
Brasil

Governo quer avaliação do serviço de energia elétrica por bairro, diz ministro

Há 18 horas

Continua após a publicidade
icon

Branded contents

Ver mais

Conteúdos de marca produzidos pelo time de EXAME Solutions

Exame.com

Acompanhe as últimas notícias e atualizações, aqui na Exame.

Leia mais