Economia

Para Jobim, acordo com EUA pode facilitar venda de Super Tucano

A Força Aérea dos Estados Unidos estuda propostas comerciais para a compra de novos aviões e Super Tucano é candidato

Segundo o ministro, com o novo acordo empresas brasileiras poderão participar de disputas sem licitação (.)

Segundo o ministro, com o novo acordo empresas brasileiras poderão participar de disputas sem licitação (.)

DR

Da Redação

Publicado em 12 de abril de 2010 às 23h23.

São Paulo - O acordo assinado nesta segunda-feira entre Brasil e Estados Unidos na área de defesa pode facilitar a venda de aviões de combate Super Tucano, fabricado pela Embraer, às Forças Armadas norte-americanas, disse o ministro da Defesa, Nelson Jobim.

Segundo o ministro, com o novo acordo, o primeiro entre os dois países desde 1977, empresas brasileiras poderão participar de disputas sem licitação para a venda de equipamentos militares aos EUA, o que antes não era possível, informou um comunicado do ministério.

A Força Aérea dos Estados Unidos estuda propostas comerciais para a compra de novos aviões e, segundo a Agência Brasil, o embaixador dos EUA em Brasília, Thomas Shannon, apontou o Super Tucano como candidato.

"Precisamos de um avião com as características do Super Tucano, reconhecido como uma boa aeronave, mas há outros aviões concorrendo e estamos explorando as várias possibilidades", disse o diplomata, segundo a agência.

Acompanhe tudo sobre:América LatinaAviaçãoDados de BrasilEmbraerEmpresasEmpresas abertasempresas-de-tecnologiaEstados Unidos (EUA)Países ricosSetor de transporte

Mais de Economia

Haddad diz que terá reunião com Pacheco nesta semana para discutir dívida dos estados

Senado aprova novas regras paras os seguros, e texto segue para a Câmara

RS e BNDES negociam parceria estratégica sobre desastres ambientais

Marco dos seguros avança no Senado e segue para o plenário da Casa

Mais na Exame