Economia

Indústria teve em 2014 pior desempenho desde 2009, diz CNI

Os dados divulgados nesta terça-feira pela Confederação Nacional da Indústria (CNI) mostraram que o faturamento da indústria teve queda de 1,8% em 2014


	Indústria: para 2015, a CNI espera que o cenário de dificuldade para o setor continue
 (Andrey Rudakov/Bloomberg)

Indústria: para 2015, a CNI espera que o cenário de dificuldade para o setor continue (Andrey Rudakov/Bloomberg)

DR

Da Redação

Publicado em 3 de fevereiro de 2015 às 15h26.

Brasília - Os indicadores que retratam o quadro de atividade da indústria brasileira tiveram em 2014 o pior desempenho dos últimos cinco anos e, para o início de 2015, a expectativa do setor é que o cenário de dificuldade continue.

Os dados divulgados nesta terça-feira, 3, pela Confederação Nacional da Indústria (CNI) mostraram que o faturamento da indústria teve queda de 1,8% em 2014, que foi a maior retração anual desde 2009, quando o recuo foi de 4,8%.

"O quadro da indústria em 2014 foi bastante negativo. O nível de atividade espelha as grandes dificuldades que as empresas brasileiras estão tendo: competição com produtos importados, demanda doméstica mais fraca, e queda do investimento", explicou o gerente de Políticas Econômicas da CNI, Flávio Castelo Branco.

"Há uma relação bastante estreita entre a dinâmica da economia brasileira com o desempenho do setor industrial", completou.

A queda nas horas trabalhadas na produção, que foi de 3,7% em 2014, também teve o pior resultado desde 2009, quando a retração foi de 8,0% no ano.

Outro indicador que mostrou o pior resultado dos últimos cinco anos foi a utilização da capacidade instalada, que caiu 1,3% em 2014, também o pior desempenho desde 2009, quando o declínio foi de 2,7%.

O emprego na indústria mostrou retração de 0,7% em 2014, também o mais baixo desde a queda de 3,3% em 2009.

A massa salarial, apesar de ter apresentado um crescimento de 1,5% no ano passado, mostrou desaceleração e foi o pior resultado desde 2009, quando houve retração de 2,3%.

Para 2015, a CNI espera que o cenário de dificuldade para o setor continue.

"A necessidade de ajustes na política econômica, com foco na reorganização das contas, levou ao aumento de tributação e à elevação de taxa de juros. E esse quadro só agrava as dificuldades do setor industrial", disse Castelo Branco.

"As expectativas para os primeiros meses de 2015 são de continuidade do quadro de dificuldade", completou.

Acompanhe tudo sobre:CNI – Confederação Nacional da IndústriaDesempenhogestao-de-negociosIndicadores econômicos

Mais de Economia

Otimista com o Brasil, Emirates expandirá voos no Rio e aumentará oferta de '4ª cabine'

Situação fiscal não será 'muleta' para não perseguir a meta de inflação, diz Galípolo

Análise: Sem ajuste fiscal, ritmo de alta das expectativas de inflação é o que importa para o BC

Arrecadação federal bate novo recorde e chega a R$ 202,9 bilhões em maio

Mais na Exame