Gasolina fica 2,86% mais cara nas bombas, diz ANP

O estado do Acre registrou o maior valor absoluto para a cobrança do litro da gasolina: R$ 3,337

Rio - A Agência Nacional de Petróleo, Gás e Biocombustíveis (ANP) divulgou nesta sexta-feira, 06, a pesquisa semanal de preços de combustíveis no país, o primeiro levantamento após o reajuste no preço da gasolina e do diesel nas refinarias na última sexta-feira pela Petrobras.

Segundo a pesquisa, em média, o país registrou alta de 2,86% para a gasolina nas bombas. Para as distribuidoras, o aumento no preço cobrado pela Petrobras foi de 4%. Para o diesel, que teve autorizada alta de 8% na refinaria, a média nos postos ficou em 4,82% para o consumidor final.

O estado do Acre registrou o maior valor absoluto para a cobrança do litro da gasolina: R$ 3,337. Já o menor valor foi no Piauí, com preço na bomba a R$ 2,788. Em São Paulo, o preço médio ficou em R$ 2,814 nas bombas, enquanto nas distribuidoras foi de R$ 2,373.

Em média, os preços nas bombas variaram entre 1,4% e 6%. A maior variação foi sentida na Bahia, onde o preço da gasolina saiu de R$ 2,855 para R$ 3,027 (alta de 6%), de acordo com o levantamento. Em toda a região Nordeste, a alta ficou em 2,9%. Em Pernambuco, a variação foi de 2,1%, com o preço de R$ 2,849 pela gasolina. No Ceará, o combustível subiu 2%, chegando a R$ 2,861. Na região Centro-Oeste, a alta da gasolina ficou em 3,1%.

O destaque foi Goiás, com valores de R$ 3,046 e alta de 3,6% nos combustíveis na bomba. Já na Região Sul, em média, a alta foi de 3,4%. A maior elevação da região foi registrada no Rio Grande do Sul, com 3,8% de alta do combustível. No Sudeste, a alta ficou em 2,7%, com destaque para São Paulo. O Estado registrou alta de 3,1% no preço da gasolina, que ficou em R$ 2,814 nas bombas, em média. Já no Norte, a alta foi de 2,2%.

O preço do etanol - que compõe a fórmula da gasolina com 25% - também aumentou. Em média, a alta foi de 2,24%, com destaque para a região Centro Oeste, onde a alta chegou a 5,6% nas bombas.

O diesel também foi reajustado e a maior alta foi sentida na região Sul, onde os preços variaram 5,5% na última semana. No Sudeste, a variação ficou em 4,7% com destaque para São Paulo, onde os preços chegaram a R$ 2,40, com alta de 2,4% em média.

Na última sexta-feira, dia 29, a Petrobras anunciou o reajuste do preço da gasolina em 4% e o diesel em 8%, válidos a partir do sábado, dia 30. Segundo o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), que divulgou na manhã desta sexta os resultados do Índice de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA), a elevação ainda não foi sentida na inflação do mês de novembro. O item só deve sofrer o impacto a partir de dezembro.

Obrigado por ler a EXAME! Que tal se tornar assinante?


Tenha acesso ilimitado ao melhor conteúdo de seu dia. Em poucos minutos, você cria sua conta e continua lendo esta matéria. Vamos lá?


Falta pouco para você liberar seu acesso.

exame digital

R$ 12,90/mês
  • Acesse onde e quando quiser.

  • Acesso ilimitado a conteúdos exclusivos sobre macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo, tecnologia e finanças.
Assine

exame digital + impressa

R$ 29,90/mês
  • Acesse onde e quando quiser

  • Acesso ilimitado a conteúdos exclusivos sobre macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo, tecnologia e finanças.

  • Edição impressa mensal.

  • Frete grátis
Assine

Já é assinante? Entre aqui.