Economia

EUA acusam banqueiros suíços de sonegar US$ 1,2 bilhão

Os banqueiros Michael Berlinka, Urs Frei e Roger Keller foram acusados de "conspirar com contribuintes americanos e outros" em uma fraude fiscal massiva,

A acusação afirma que os três banqueiros foram assessores de clientes na sucursal de Zurique de um banco identificado apenas como "Banco Suíço A" (Fabrice Coffrini/AFP)

A acusação afirma que os três banqueiros foram assessores de clientes na sucursal de Zurique de um banco identificado apenas como "Banco Suíço A" (Fabrice Coffrini/AFP)

DR

Da Redação

Publicado em 3 de janeiro de 2012 às 21h43.

Nova York - Três banqueiros suíços foram acusados nos Estados Unidos, nesta terça-feira, de ocultar 1,2 bilhão de dólares em bens de clientes americanos com o objetivo de sonegar impostos. Os banqueiros Michael Berlinka, Urs Frei e Roger Keller foram acusados de "conspirar com contribuintes americanos e outros" em uma fraude fiscal massiva, de acordo com um comunicado de procuradores federais em Nova York.

A acusação afirma que os três banqueiros foram assessores de clientes na sucursal de Zurique de um banco identificado apenas como "Banco Suíço A". Eles são acusados de conspirar com clientes para esconder das autoridades tributárias americanas a existência de contas bancárias e a renda que geraram.

O governo americano exige que seus cidadãos declarem os bens que possuem tanto no país como no exterior. Os bancos suíços sofreram diversos ataques por parte das autoridades americanas, destacando-se as ações contra o UBS, que terminaram com um acordo entre os governos dos dois países.

Acompanhe tudo sobre:Estados Unidos (EUA)ImpostosLeãoPaíses ricosSonegação fiscal

Mais de Economia

Número de trabalhadores sindicalizados cai pela metade em 11 anos, diz IBGE

Governo avalia propostas para compensar desoneração da folha neste ano

Lula reclama de decisão do Banco Central sobre taxa de juros: ‘Uma pena que manteve’

Plano Real, 30 anos: Carolina Barros, do BC, e a jornada do Real ao Pix

Mais na Exame