Economia

Economistas já projetam PIB brasileiro abaixo de 1% em 2019

Mediana das expectativas de 26 instituições é de 1,1%, abaixo da projeção da pesquisa Focus, de 1,45%

PIB: piso das estimativas é de alta de apenas 0,5% do Produto Interno Bruto, já a maior previsão é de 2,2% (Mario Tama/Getty Images)

PIB: piso das estimativas é de alta de apenas 0,5% do Produto Interno Bruto, já a maior previsão é de 2,2% (Mario Tama/Getty Images)

EC

Estadão Conteúdo

Publicado em 16 de maio de 2019 às 09h00.

Última atualização em 16 de maio de 2019 às 09h06.

Diante dos dados de atividade no primeiro trimestre e da ausência de sinais de recuperação consistente para o restante do ano, o movimento de revisão do Produto Interno Bruto (PIB) de 2019 segue em pleno vapor e alguns economistas já estimam que a economia vai crescer abaixo de 1% este ano, mostra pesquisa preliminar do Projeções Broadcast após a divulgação do Índice de Atividade Econômica do Banco Central (IBC-Br).

O piso das estimativas é de alta de apenas 0,5% do Produto Interno Bruto (PIB), já a maior previsão é de 2,2%, que, por sua vez, deve ser revisada para baixo. A mediana das expectativas de 26 instituições é de 1,1%, abaixo da projeção da pesquisa Focus, de 1,45%. Na terça-feira, o ministro Paulo Guedes admitiu que a estimativa do governo caiu para 1,5%. Essa forte revisão para o número de 2019 também tem influenciado negativamente as previsões para 2020, que variam de 2% a 3%, com mediana de 2,5%.

Parte desse pessimismo deriva da percepção de que o fraco desempenho do período de janeiro a março não deve mudar tanto nos próximos trimestres, uma vez que a principal trava é a incerteza fiscal, segundo economistas, que não deve ser diluída rapidamente.

Com a projeção mais baixa para o PIB de 2019, de 0,5%, a Kapitalo Investimentos explica que o número do ano é bastante influenciado pelo resultado do primeiro trimestre. Como a instituição avalia que a queda no período deve ser de 0,4%, calcula que seria necessário crescer 0,7% nos outros trimestres para resultar em um PIB de 1%, sendo que a média de crescimento desde o início da retomada é de 0,3%.

O BNP Paribas também já estima PIB abaixo de 1% este ano. Ontem, o banco reduziu a projeção de 2% para 0,8%, citando efeito negativo da desaceleração global e o atraso na tramitação da reforma da Previdência.

Acompanhe tudo sobre:Crescimento econômicoeconomia-brasileiraPIB do Brasil

Mais de Economia

Reforma tributária: leia íntegra da proposta de regulamentação do governo

Reforma tributária: nova alíquota será entre 25,7% e 27,3%, diz Appy

Haddad apresenta regulamentação da Reforma Tributária ao Congresso

Mais na Exame