Economistas cortam previsão de expansão do PIB chinês por coronavírus

Epidemia afetou em cheio o consumo no país mais populoso do mundo, segunda maior economia e principal parceiro comercial do Brasil

Pequim cancela festa do Ano Novo Lunar para evitar disseminação do coronavírus (Qilai She/Bloomberg)

Pequim cancela festa do Ano Novo Lunar para evitar disseminação do coronavírus (Qilai She/Bloomberg)

João Pedro Caleiro

João Pedro Caleiro

Publicado em 7 de fevereiro de 2020 às 06h00.

Última atualização em 7 de fevereiro de 2020 às 06h23.

O surto do coronavírus e as medidas da China para impedir a propagação da doença devem resultar em crescimento econômico mais fraco do que se pensava neste trimestre, segundo economistas.

Goldman Sachs, UBS e Macquarie estão entre os bancos que cortaram as previsões de crescimento tanto para o primeiro trimestre quanto para 2020, enquanto outros esperam choques concretos contra o PIB.

Refletindo a piora da situação, Jian Chang, do Barclays Bank, agora projeta um cenário que eliminaria 2,2 pontos percentuais da expansão no primeiro trimestre, uma estimativa mais pessimista em relação à sua avaliação de 22 de janeiro de que o impacto seria “transitório” e limitado a certos setores.

Previsões de economistas:

EmpresaData do relatório1T - revisado1T - anterior2020 - revisado2020 - anteriorComentários
Oxford Economics3 de fevereiroCorte superior a 2 pontos percentuais6%5,4%6%Alto impacto econômico, mas de curta duração
Macquarie3 de fevereiro4%5,8%5,6%5,9%“Piora antes de melhorar”
UBS3 de fevereiro3,8%5,9%5,4%6%Previsão com viés para risco de desaceleração
Bloomberg Economics31 de janeiro4,5%5,9%5,7%5,9%Maior impacto se o vírus se propagar até 2T
Standard Chartered31 de janeiro4,5%6%5,8%6,1%Infecção sob controle antes do que a SARS
Goldman Sachs31 de janeiro4%5,6%5,5%5,9%Expectativa de estímulo intensivo da dívida
Citi29 de janeiro4,8%5,9%5,5%5,8%Intervenção política “fundamental”
Nomura29 de janeiroQueda significativa em relação aos 6% no 4T 20195,8%-5,7%Impacto “mais forte do que a SARS”

 

Mais de Economia

Segurança no Brasil tem impacto no prêmio de risco, diz Campos Neto

Prates afirma que não há crise na Petrobras e que tem boa relação com Lula e Silveira

Demanda por diesel sobe 8,7% no 1º bimestre, mas deve perder força no semestre, diz EPE

Se incerteza continuar alta, BC tem de trabalhar no ritmo de cortes, afirma Campos Neto

Mais na Exame